Future of Money

‘Blockchain vai permear todos os sistemas financeiros’, diz executivo de empresa no piloto do Drex

Tecnologia poderá trazer muitos benefícios ao mercado financeiro tradicional, principalmente através de programabilidade e tokenização

 (Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)

Mariana Maria Silva
Mariana Maria Silva

Repórter do Future of Money

Publicado em 10 de novembro de 2023 às 09h30.

O Banco Central do Brasil está desenvolvendo uma moeda digital, chamada Drex. Com foco no atacado, o Drex pode servir como uma “nova etapa” da digitalização financeira no Brasil depois do Pix e o Open Finance. Já em fase de testes, muitas empresas colaboram com a autarquia em seu desenvolvimento.

Cesário Martins é fundador e CPO da LoopiPay, uma das empresas que participa de um consórcio no projeto piloto do Drex. Para ele, “a tecnologia blockchain vai permear todos os sistemas financeiros” e a “liquidação instantânea de ativos é a grande razão inicial do Drex”.

  • Este conteúdo é parte do "Especial: Real Digital", que tem apoio da Mynt e patrocínio de Aarin Tech-Fin e Febraban. Para saber mais e acompanhar todos os conteúdos exclusivos com quem mais entender de Drex no Brasil, acesse a página do evento na EXAME clicando aqui. 

Cesário possui uma vasta experiência no universo da tecnologia e do empreendedorismo, estando entre os fundadores de outras empresas, como a Mobly e a Clickbus, além de uma experiência de dois anos em um MBA na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

“Quando eu estava fora foi quando interagi mais com ativos digitais e quando voltei para o Brasil criei a LoopiPay com esse foco, entre o final de 2021 e o começo de 2022. De lá para cá o que mudou muito no mercado foi exatamente a posição dos reguladores como Banco Central, CVM e Anbima em como a tecnologia resolve problemas reais do mercado financeiro tradicional. Os reguladores têm uma visão madura e detalhada da tecnologia e seus poderes de resolver os problemas”, contou em entrevista exclusiva à EXAME.

Ele acredita que o mercado financeiro tradicional ainda é “ineficiente”, com algumas exceções como o Pix e que no futuro a tokenização se disseminará de tal forma que os ativos de investimento já irão nascer em um ambiente digital. “Os ativos financeiros e reais vão ser emitidos em um blockchain e o usuário nem vai saber disso”.

Casos de uso do Drex

“O que o Pix fez com o TED, o Drex vai fazer com a liquidação de títulos. Por exemplo: imagine que você precisa do dinheiro agora e quando você olha para os seus ativos você tem um título público federal e você quer vender porque precisa do dinheiro agora. Você precisa passar por um processo arcaico feito para tecnologias de anos atrás, o que demora, é ineficiente e caro. No Drex vai ser que nem o Pix, se quiser vender basta clicar, vender e transformar aquilo em dinheiro. Isso destrava um capital enorme no mercado financeiro, o que impacta em taxas menores”, explicou.

Pensando no usuário comum, o executivo ainda mencionou outros casos de uso possíveis no Drex que podem facilitar as transações interpessoais e garantir a sua segurança através da programabilidade da moeda digital.

“[No Drex], ao invés de pagar uma pessoa com um Pix, você paga um contrato, deixando as transações mais seguras. Exemplo: eu sou usuário final, tenho um carro tokenizado e quero vender. Coloco no smart contract e o comprador paga esse contrato, que irá fazer toda a gestão de lógica de uma forma super automática. As regras do que tem que acontecer uma vez que aquele pagamento é feito são programadas”, disse ele à EXAME.

A LoopiPay, empresa de Cesário, desenvolve uma solução no estilo “Drex as a Service” com a intenção de “transformar a entrada nessa tecnologia para deixar isso simples”. O executivo elogiou a abertura do Banco Central para as empresas do piloto e as novas tecnologias.

“As pessoas deveriam acompanhar o que está acontecendo e irem atrás de educação em mídias especializadas, porque eu acho que vai ser muito rápido. Assim como o Pix foi rápido em transformar os pagamentos, o Drex vai transformar a indústria financeira e o nosso dia a dia”, concluiu.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Acompanhe tudo sobre:Especial: Real DigitalDrex (Real Digital)Blockchain

Mais de Future of Money

Por que as marcas não podem ignorar o blockchain: a transformação da interação com o consumidor

A solução para as barreiras de liquidez global nos investimentos

Investidores institucionais não acreditam em alta do bitcoin no curto prazo, aponta relatório

Dolce & Gabbana é processada nos EUA após problemas em coleção de NFTs

Mais na Exame