FTX, 3ª maior corretora cripto do mundo, compra 30% de gestora fundada por ex-diretor da Casa Branca

Corretora de criptomoedas se destaca por aquisições e expansão global; SkyBridge Capital foi cofundada por Anthony Scaramucci, ex-diretor de comunicação da Casa Branca na era Trump
Sam Bankman-Fried, CEO da FTX (Bloomberg/Getty Images)
Sam Bankman-Fried, CEO da FTX (Bloomberg/Getty Images)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 09/09/2022 às 16:21.

Última atualização em 09/09/2022 às 16:55.

Atualmente a terceira maior corretora de criptomoedas do mundo em valor de mercado, a FTX continua seu movimento de expansão. Nesta sexta-feira, foi anunciada a compra de 30% da SkyBridge Capital por parte da empresa de Sam Bankman-Fried.

Com sede em Nova York, a SkyBridge Capital é uma empresa de investimentos liderada por Anthony Scaramucci, Troy Gaveski, Brett S. Messing e Raymond Nolte. Scaramucci é amplamente conhecido nos Estados Unidos por ter integrado o time de Donald Trump durante seu governo nos Estados Unidos. Ele foi diretor de comunicações da Casa Branca.

(Mynt/Divulgação)

O aporte de US$ 40 milhões da FTX será usado para investir e manter criptomoedas no balanço da SkyBridge Capital, afirmou a empresa. Ao Decrypt, a SkyBridge confirmou o acordo e afirmou que ambas as empresas possuem sinergia.

"Sam é um visionário que construiu negócios incríveis que são sinérgicos com o futuro da SkyBridge", disse Anthony Scaramucci em um comunicado.

A FTX Ventures foi a responsável pelo investimento. Trata-se de um fundo de venture capital da FTX lançado em janeiro de 2022 e liderado por Amy Wu, anteriormente sócia geral da LightSpeed Venture Partners.

Além da notoriedade no mercado de criptomoedas por conta de seu tamanho e influência, a FTX e seu fundador, Sam Bankman-Fried, se tornaram conhecidos por conta da alta quantia de dinheiro que forneceram a empresas e projetos do mundo cripto próximas de quebrar.

Sam Bankman-Fried, o jovem bilionário de 30 anos, ficou conhecido como o “salvador” das criptomoedas. Além disso, ele também segue um estilo de vida onde pretende doar a maior parte de seu patrimônio para a filantropia, filosofia similar a de outros bilionários, como Bill Gates.

Seu recente investimento na SkyBridge Capital ocorre logo após a empresa interromper os saques de investidores em julho para um de seus fundos com exposição ao bitcoin e ether. Chamado de Legion Strategies, o fundo administrou cerca de US$ 230 milhões em ativos e sofreu com a queda de mais de 60% das criptomoedas em 2022. Quase um quarto do fundo era mantido na classe de ativos, segundo dados de fevereiro.

"A suspensão é motivada em grande parte por uma incompatibilidade de liquidez resultante de investimentos privados em estágio avançado no fundo. Os fundos SkyBridge não têm alavancagem. Não há risco de qualquer liquidação de ativos", disse um representante da Skybridge ao Decrypt na época.

No entanto, não foi confirmado se a aquisição de 30% da SkyBridge pela FTX Ventures está relacionada ao ocorrido. No total, a FTX já disponibilizou cerca de US$ 750 milhões para ajudar empresas e projetos do universo cripto em dificuldades.

Quanto ao título de "salvador", Sam Bankman-Fried afirmou ao Decrypt que está desapontado por ninguém mais se juntar a ele para sustentar a indústria.

"Eu ficaria superfeliz se outros aceitassem isso em vez de mim. A razão pela qual eu tenho feito isso, francamente, é porque não parece claro para mim que existem outros que estão intensificando e fazendo isso”, afirmou.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok