Acompanhe:

Só 13% dos países que aderiram à neutralidade de emissões têm planos de deixar combustível fóssil

O número corresponde aos países que assumiram pelo menos um compromisso de deixar aos poucos o uso, a produção ou a exploração de carvão, petróleo e gás

Modo escuro

Continua após a publicidade
Petróleo e gás: cerca de 95% das nações produtoras de petróleo e gás não se comprometeram a diminuir a exploração (AerialPerspective Images/Getty Images)

Petróleo e gás: cerca de 95% das nações produtoras de petróleo e gás não se comprometeram a diminuir a exploração (AerialPerspective Images/Getty Images)

A maior parte dos países que buscam neutralizar as emissões de carbono até agora não anunciou os planos para eliminar gradualmente os combustíveis fósseis. O alerta foi feito por um grupo de especialistas sobre o clima nesta segunda-feira, 4, em Dubai, durante a COP28.

O relatório do grupo 'Net Zero Tracker' aponta que uma das questões cruciais é se os países aceitarão reduzir ou eliminar gradualmente os combustíveis fósseis, principal fonte de emissões dos gases de efeito estufa (GEE) que aquecem o planeta.

De acordo com o grupo, cerca de 150 países se comprometeram a alcançar a neutralidade das emissões, cobrindo 88% de todos os gases de efeito estufa em todo o mundo.

No entanto, apenas 13% desses países assumiram pelo menos um compromisso de eliminar gradualmente o uso, a produção ou a exploração de carvão, petróleo e gás, afirma o grupo, administrado por vários centros de pesquisa americanos e europeus.

É como comer gordura na dieta

"Um plano 'net zero’ que não diz de forma clara como eliminar gradualmente os combustíveis fósseis é como uma dieta da moda que permite comer tanta gordura quanto quiser", disse Thomas Hale, da Universidade de Oxford, co-autor do relatório.

O Net Zero Tracker analisou mais de 1.500 países, regiões, cidades e grandes empresas que se comprometeram com a neutralidade de carbono. Cerca de 95% das nações produtoras de petróleo e gás não se comprometeram a eliminar gradualmente a exploração.

Destaques

A análise é mais positiva no caso das empresas: 56% das empresas ativas na produção de carvão estão empenhadas, pelo menos parcialmente, em eliminar progressivamente este combustível com altas emissões.

As companhias africanas e europeias ocupam um lugar de destaque nos planos de eliminação progressiva, muito à frente das empresas dos Estados Unidos.

O relatório também elogia a Espanha, que incluiu planos legislativos para eliminar estes combustíveis, e a capital sueca, Estocolmo, que estabeleceu metas de redução de emissões, assim como o gigante energético dinamarquês Orsted, que se desvinculou dos combustíveis fósseis.

Veja também mais notícias sobre a COP28

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Energia em alerta: seca no mundo pressiona recorde de emissões de CO2
ESG

Energia em alerta: seca no mundo pressiona recorde de emissões de CO2

Há 3 dias

Em meio a negociações, mistura de 14% de biodiesel no diesel entra em vigor hoje
ESG

Em meio a negociações, mistura de 14% de biodiesel no diesel entra em vigor hoje

Há 3 dias

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa
ESG

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa

Há 4 dias

Depois do Paraná, Petrobras entra com diesel renovável em SP
ESG

Depois do Paraná, Petrobras entra com diesel renovável em SP

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais