ESG

Ricky Ribeiro, que perdeu os movimentos e se especializou em mobilidade, é destaque em evento em SP

Ricky Ribeiro, que se comunica por meio dos olhos, é um dos palestrantes do IoT Solutions Congress Brasil, evento promovido pela iCities, empresa brasileira de cidades inteligentes, em São Paulo, nos dias 6 e 7 de junho; leia entrevista à Exame

Ricky Ribeiro, fundador da Mobilize Brasil (//Divulgação)

Ricky Ribeiro, fundador da Mobilize Brasil (//Divulgação)

Marina Filippe
Marina Filippe

Repórter de ESG

Publicado em 23 de maio de 2024 às 07h00.

Última atualização em 23 de maio de 2024 às 12h26.

Luis Henrique da Cruz Ribeiro, mais conhecido como Ricky Ribeiro, descobriu sua paixão pela mobilidade urbana quando morou em Barcelona entre 2004 a 2006 para cursar um Mestrado em Sustentabilidade e um MBA Executivo. Na mesma época, outra surpresa: Ricky percebeu sua força e resistência física mudar e, mais tarde, recebeu um diagnóstico de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), que evoluiu e hoje faz com que ele se comunique exclusivamente por um leitor óptico para escrita e um programa que transforma o texto, comandado pelos olhos, em voz.

“A cidade de Barcelona e o Mestrado em Sustentabilidade foram responsáveis por uma profunda transformação na minha forma de ver o mundo e as cidades. Fiquei encantado em constatar que a qualidade de vida das pessoas poderia ser infinitamente maior em uma cidade com uma disposição urbana inclusiva, que valorizasse os espaços públicos, estimulasse a convivência social entre diferentes grupos e classes e priorizasse os meios de transportes públicos e ativos”, afirma.

Quando foi diagnosticado com ELA, Ricky passou cerca de dois anos em busca de diferentes tratamentos até decidir trabalhar com foco em mobilidade e criar o portal Mobilize Brasil, que além da cobertura do tema já produziu, por exemplo, um levantamento, em parceria com a consultoria EY, apontando como a mobilidade foi agravada na pandemia da covid-19.

Sobre a situação atual, Rick afirma que, no geral, o panorama de acessibilidade das cidades brasileiras é ruim, principalmente pela má qualidade das calçadas. “Mas também existem bons exemplos, como no transporte público, tanto de empresas públicas como privadas, que vêm ampliando a frota acessível a pessoas com deficiência e disponibilizando informações em tempo real, por meio de IoT, para os passageiros”, aponta.

Para ele, existem também boas práticas para melhorar a acessibilidade de quem circula pelas ruas, com semáforos que detectam as informações dos smartphones e conseguem saber se a pessoa que espera para fazer a travessia é uma pessoa com deficiência ou um idoso. “O sistema pode aumentar o tempo de abertura, para permitir que o idoso ou o cadeirante atravessem a via com segurança e tranquilidade”.

O desenvolvimento de estudos e tecnologia para a acessibilidade das pessoas com deficiência nas cidades é o foco de Ricky. “Além de soluções relacionadas à acessibilidade, a internet das coisas em outras áreas da mobilidade urbana tem trazido muitos benefícios para melhorar a experiência de usuários de transporte público, tornar mais eficiente a gestão das empresas, e trazer ganhos ambientais”.

IoT Solutions Congress Brasil

Ricky Ribeiro é um dos palestrantes do IoT Solutions Congress Brasil, evento promovido pela iCities com a chancela da Fira Barcelona, empresa brasileira de cidades inteligentes, em São Paulo, nos dias 6 e 7 de junho.

“A importância de um evento como o IOT Solutions Congress no Brasil é enorme por diversos motivos. Ele pode incentivar o desenvolvimento tecnológico de empresas e governos, fomentar a inovação, disseminar conhecimento, estimular parcerias, atrair investimentos e impulsionar a economia. Os impactos gerados também podem ser muito significativos, trazendo ganhos de eficiência, vantagem competitiva, sustentabilidade, benefícios sociais e melhorando a qualidade de vida das pessoas”, afirma.

Ele e Normano Ribeiro, especialista em tecnologia aplicada à mobilidade urbana irão palestrar juntos sobre diferentes soluções de mobilidade que envolvem IoT, a exemplo de informações do transporte público em tempo real, contagem de passageiros no transporte público, contagem de ciclistas em ciclovias, monitoramento do tráfego, gestão de estacionamentos, segurança de veículos, informações ambientais e outras.

Esta será a primeira vez que o encontro acontece no Brasil. O propósito, de acordo com os organizadores, é de elevar a inovação e a competitividade no cenário tecnológico, principalmente no que tange à Internet das Coisas ligadas à administração pública.

Temas como gestão de transporte, resíduos, educação, recursos hídricos, saúde, segurança e iluminação serão amplamente abordados durante o evento. Além disso, o congresso destacará soluções de GovTech, que utilizam tecnologias avançadas para otimizar processos governamentais e melhorar a prestação de serviços públicos.

Acompanhe tudo sobre:Mobilidademobilidade-urbanaPessoas com deficiência

Mais de ESG

BID Invest, que espera movimentar US$ 102 bi na América Latina, promove evento ESG em Manaus

Dia Mundial dos Oceanos: fonte de água e um retrato do desastre climático

Azerbaijão, sede da COP29, defende acelerar produção de gás (sim, um combustível fóssil)

Summit ESG: grandes empresas devem compartilhar iniciativas sustentáveis com PMEs

Mais na Exame