Acompanhe:

Quando e como se preparar para a economia circular

De acordo com o levantamento “The Global Circularity Gap” da Deloitte, em 2018, cerca de 9% dos recursos produzidos eram reaproveitados,o número caiu para 7.2% em 2022 - o que levanta um alerta sobre o reaproveitamento de materiais, sustentabilidade e circularidade

Modo escuro

Continua após a publicidade
Economia circular: "Não se trata apenas de uma tendência, mas de um imperativo para moldar um futuro mais sustentável", afirmam autores (Getty Images/Getty Images)

Economia circular: "Não se trata apenas de uma tendência, mas de um imperativo para moldar um futuro mais sustentável", afirmam autores (Getty Images/Getty Images)

Publicado em 13 de agosto de 2023 às, 08h30.

À medida que a conscientização ambiental e a busca por práticas empresariais responsáveis aumentam, a economia circular se apresenta como uma abordagem inovadora e decisiva para o enfrentamento dos desafios globais de limitação de recursos e impactos na natureza.

Não se trata apenas de uma tendência, mas de um imperativo para moldar um futuro mais sustentável. Cada organização, país, estado e cidade têm suas próprias demandas e abordagens em relação à economia circular. Apesar dessas particularidades, pode-se compreender esse conceito por meio de quatro dimensões principais.

A primeira dimensão envolve estabelecer limites para o consumo de recursos naturais. Isso significa determinar, primeiro, até que ponto podemos utilizá-los e, depois, o quanto podemos reutilizar o que produzimos a partir deles, em vez de descartar ambos sistematicamente. Esse olhar se traduz, frequentemente, em metas e gestão consciente para o uso sustentável de água, por exemplo.

Aproveitar ao máximo e com eficiência os recursos disponíveis é a segunda dimensão, bastante alinhada à sustentabilidade financeira das próprias companhias. A terceira é a regeneração, que envolve, por exemplo, o uso de biomassa e outras fontes renováveis de energia limpa cujo uso contribua para a recuperação do meio ambiente. Por esta frente, pode-se devolver à natureza parte do que foi retirado dela, contribuindo para um ciclo mais sustentável. Por fim, a quarta dimensão é justamente a circularidade, que envolve a reutilização de produtos e recursos, criando um ciclo em que os materiais são usados repetidamente – como ocorre na reciclagem.

Um alerta para todo o mundo

Todas essas dimensões são importantes para organizações, países, estados e cidades, independentemente de suas realidades e particularidades. Há, no entanto, um cenário global desafiador em termo de suas adoções. Apesar de avanços, a pesquisa “The Global Circularity Gap”, da Deloitte, aponta que a circularidade tem diminuído nos últimos anos. Para se ter uma ideia, em 2018, cerca de 9% dos recursos produzidos eram reaproveitados, mas esse número caiu para 7.2% no ano passado. Isso acende um alerta para todo o mundo e nos releva que ainda temos um longo caminho a percorrer para atingir níveis sustentáveis de circularidade.

As empresas de todo o mundo estão se esforçando para abordar as quatro dimensões citadas, mas a percepção pública ainda é cética em relação aos propósitos sustentáveis das organizações. O que depreende disso é um grande desafio de transição para a prática real da economia circular.

Há, no entanto, boas práticas de mercado. A Baterias Moura, por exemplo, possibilita a coleta de 100% das baterias que coloca no mercado brasileiro. Isso quer dizer que para cada bateria disponibilizada, uma é coletada e reciclada. Além disso, as equipes de trabalho têm viajado extensivamente, visitando diversos países e absorvendo conhecimentos com o objetivo de aumentar ainda mais a reciclabilidade do chumbo.

Um olhar crítico e aprofundado

As organizações já estão buscando mais orientação sobre como implementar práticas sustentáveis, e a colaboração entre o setor público e privado está crescendo. De um lado, governos Federal e estaduais estão dialogando e desenvolvendo legislações que incentivam práticas mais sustentáveis, por meio de novas leis e incentivos à economia circular. Há, também, mudanças regulatórias no setor contábil, focando na divulgação precisa e transparente das práticas de sustentabilidade das empresas.

Agora, é fundamental que as organizações olhem para dentro, com olhar crítico e aprofundado, para avançar em suas ações ESG como um todo – ou seja, nas áreas de governança ambiental, social e corporativa. À medida que a conscientização se espalha e se insere no centro da estratégia, os negócios se voltam à fase zero: de identificar questões materiais e oportunidades para contribuir ou evitar impactos ambientais e sociais negativos. A partir disso, é preciso criar uma agenda bem estruturada, com metas claras, prazos e estratégias, para priorizar o tema e avançar da forma que a sociedade precisa. Este será o momento de se preparar para a economia circular. Deve ocorrer o quanto antes. Definindo o quando, como se preparar? As quatro dimensões citadas nesse artigo representam um ótimo guia de percurso.

A economia circular não é apenas uma estratégia, mas um movimento que reflete a urgência de preservar o planeta. Trata-se de um convite para reimaginar a forma como fazemos negócios, repensar nossa relação com os recursos naturais e criar um futuro em que a prosperidade esteja alinhada com a sustentabilidade. A jornada em direção a uma economia circular é desafiadora, mas com colaboração, inovação e ação coletiva, podemos trilhar o caminho para um futuro verdadeiramente circular e sustentável.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
App que será lançado no Web Summit promete revolução verde conectando usuários, empresas e ONGs
Um conteúdo Bússola

App que será lançado no Web Summit promete revolução verde conectando usuários, empresas e ONGs

Há um dia

Com vendas em alta, Zegna lança livro sobre seu “oásis de sustentabilidade”
Casual

Com vendas em alta, Zegna lança livro sobre seu “oásis de sustentabilidade”

Há um dia

Mars quer garantir o chocolate de quem nasceu em 2020 — e a ração dos pets
ESG

Mars quer garantir o chocolate de quem nasceu em 2020 — e a ração dos pets

Há 4 dias

Empresa da Votorantim triplica capacidade de processamento de resíduos no Paraná
ESG

Empresa da Votorantim triplica capacidade de processamento de resíduos no Paraná

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais