ESG

Presença de mulheres em conselhos cresce, mas ainda está abaixo de 20%

O estudo de Conselhos de Administração 2021, feito pela consultoria Korn Ferry, aponta os dados gerais de mulheres em conselhos e também variação por setor econômico

Mulheres continuam sendo minoria nos conselhos de administração, mostra pesquisa da Korn Ferry (Thomas Barwick/Getty Images)

Mulheres continuam sendo minoria nos conselhos de administração, mostra pesquisa da Korn Ferry (Thomas Barwick/Getty Images)

Marina Filippe

Marina Filippe

Publicado em 4 de agosto de 2022 às 07h00.

As ações que incentivam a presença de mulheres nas empresas estão cada vez mais frequentes e tem se tornado uma pauta prioritária. Com isso, é possível notar o crescimento da participação feminina no mercado e também nos Conselhos de Administração. O percentual de mulheres nos conselhos passou de 13% em 2020 para 16% em 2021, de acordo com o Estudo de Conselhos de Administração 2021, feito pela Korn Ferry, empresa global de consultoria organizacional.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui

Se for considerado apenas os (as) conselheiros independentes a participação de mulheres é maior: 21%. Em 2020 eram 18%. Uma evolução similar é a presença feminina como C-level, que aumentou de 14% para 18% no mesmo período. Com o aumento da quantidade de mulheres nas diretorias das companhias, há mais mulheres com experiência de assumir posições em conselhos, ampliando a diversidade de gênero e mostrando a comprometimento das empresas.

“As empresas estão percebendo que precisam mostrar para a sociedade, para os investidores, que estão tendo um olhar mais atento para as questões de diversidade, avançando nessa pauta de forma efetiva. Os comitês de governança das companhias têm cobrado isso e os investidores mesmo que não estejam ativamente cobrando, estão perguntando sobre o tema. As empresas estão construindo ações importantes de diversidade e o conselho tem que dar o exemplo”, diz Jorge Maluf, sócio sênior da Korn Ferry,

Os dados da Korn Ferry mostram ainda que a porcentagem de mulheres nos conselhos aumentou ou ficou estável em todos os setores e os que mais possuem a presença feminina são os de bens de consumo (21%), infraestrutura/utilities (21%) e tecnologia/comunicação (20%). No gráfico abaixo é possível observar a porcentagem de mulheres no conselho, por setor, com comparativo entre os anos de 2020 e 2021.

mulheres-conselho-korn ferry

(Korn Ferry/Reprodução)

Acompanhe tudo sobre:Conselhos de administraçãoMulheresMulheres executivas

Mais de ESG

Peixe amazônico, introduzido em reservatório paulista, vira predador de espécies nativas

Summit ESG: como os agentes financeiros vão destravar os recursos para uma economia limpa

Posso deixar 100% dos meus bens para quem eu quiser em um testamento?

Quanto rende R$ 50 mil na poupança? E em outros investimentos?

Mais na Exame