ESG

Johnson vende sua 'revolução verde' em busca de investimentos bilionários

O primeiro-ministro considera que o investimento verde é essencial para o crescimento da economia britânica

Johnson quer que o Reino Unido alcance a neutralidade do carbono em 2050 (Leon Neal - WPA Pool/Getty Images)

Johnson quer que o Reino Unido alcance a neutralidade do carbono em 2050 (Leon Neal - WPA Pool/Getty Images)

A

AFP

Publicado em 19 de outubro de 2021 às 10h15.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson prometeu, nesta terça-feira (19), uma "revolução verde" em uma cúpula de investimentos com a qual busca captar bilhões em financiamento, a poucos dias do início da cúpula sobre o clima em Glasgow.

"Este é o plano: uma revolução industrial verde, impulsionada pelas novas liberdades do Brexit", defendeu diante de uma equipe de dirigentes liderada pelo fundador da Microsoft e filantropo Bill Gates e a diretora da Organização Mundial do Comércio (OMC), Ngozi Okonjo-Iweala, reunidos em uma Cúpula de Investimento Global em Londres.

"Nesta sala se reúnem 24 trilhões de dólares. Quero dizer a cada um desses dólares: são bem-vindos no Reino Unido", brincou, acrescentando que o país pretende aproveitar sua capacidade de atrair investimentos "para tomar um novo rumo".

Johnson, que quer que o Reino Unido alcance a neutralidade do carbono em 2050, se prepara para receber os líderes mundiais na COP26, a cúpula da ONU sobre a mudança climática que acontecerá na cidade escocesa de Glasgow de 31 de outubro a 12 de novembro.

O primeiro-ministro considera que o investimento verde é essencial para o crescimento da economia britânica, duramente afetada pela pandemia de coronavírus e pelo Brexit.

Na véspera desta Cúpula de Investimento Global, seu governo anunciou na segunda-feira que o gigante espanhol da energia elétrica Iberdrola investirá 6 bilhões de libras (8,2 bilhões de dólares, 7,1 bilhões de euros) no Reino Unido para criar seu maior projeto de energia eólica offshore.

O projeto, planejado por meio de sua filial Scottish Power na costa leste da Inglaterra e ainda pendente de autorizações regulatórias, deve fornecer energia suficiente para abastecer 2,7 milhões de casas e criar 7.000 empregos, afirmou Johnson.

O investimento do grupo espanhol é o maior de uma série de 18 operações, por um valor total de 9,7 bilhões de libras, com potencial para criar 30.000 empregos, decididas no marco desta reunião empresarial.

Nesta terça-feira, Johnson e Gates anunciaram também um investimento de 400 milhões de libras ao longo de dez anos, dos quais metade será ofertada por um programa de investimento dirigido pelo bilionário americano e a outra metade pelo governo britânico, para financiar "a próxima geração de tecnologias de energia limpa".

O governo de Johnson deve apresentar nessa semana sua estratégia de neutralidade do carbono, voltada para medidas de desenvolvimento de energias renováveis de produção nacional e para a transição energética.

Acompanhe tudo sobre:Boris JohnsonReino UnidoSustentabilidade

Mais de ESG

Investimento de R$ 1,2 bi: Raízen inaugura sua segunda usina de etanol de segunda geração, em SP

Richard Branson no Brasil: o combustível de aviação sustentável funciona, agora é só produzir

Após balanço, Nvidia (NVDC34) já vale mais que Amazon (AMZO34) e Tesla (TSLA34) juntas

Senacon notifica 20 operadoras de planos de saúde por cancelamentos de contratos; veja lista

Mais na Exame