ESG

O que fazem e quais são as empresas no Índice de Igualdade de Gênero da Bloomberg

Das 600 empresas participantes ao redor do mundo, 16 estão no Brasil. Isto é três mais do que no ano anterior; veja lista

Índice de Igualdade de Gênero 2023 da Bloomberg (ou Gender-Equality Index, GEI) tem 600 participantes (Mulheres Positivas/Reprodução)

Índice de Igualdade de Gênero 2023 da Bloomberg (ou Gender-Equality Index, GEI) tem 600 participantes (Mulheres Positivas/Reprodução)

Marina Filippe

Marina Filippe

Publicado em 1 de fevereiro de 2023 às 09h53.

Última atualização em 1 de fevereiro de 2023 às 11h42.

A busca pela equidade de gênero é um tema cada vez mais forte nas empresas do mundo todo, como mostra o Índice de Igualdade de Gênero 2023 da Bloomberg (ou Gender-Equality Index, GEI), com 600 participantes. Na América Latina, por exemplo, a participação no GEI subiu para 46 empresas na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru, Uruguai e, pela primeira vez, no Equador.

Já no Brasil, 16 empresas estão listadas, isto é, três a mais do que no ano anterior. Sendo elas: Afya Ltda, Aliansce Sonae Shopping Centers SA, Banco Bradesco SA, Braskem SA, Centrais Elétricas Brasileiras SA, Cia Brasileira de Distribuição, Cia de Gás de São Paulo SA, Cia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista, Cogna Educação, Cosan SA, Fleury SA, Itaú Unibanco Holding SA, Odontoprev SA, Sendas Distribuidora SA (Assaí Atacadista), Telefonica Brasil SA e TIM SA/Brasil.

“O Índice de Igualdade de Gênero da Bloomberg continua sendo um recurso importante para as empresas identificarem quaisquer lacunas e fornece medidas acionáveis para remodelar ainda mais o futuro do trabalho", diz Peter T.Grauer, chairman da Bloomberg.

Resultados da equidade de gênero

O Relatório GEI Insights de 2023 que acompanha o resultado fornece dados adicionais e uma análise sobre o estado atual de gênero nas organizações. As principais áreas incluem interseccionalidade, trabalho flexível e envolvimento dos funcionários. As empresas membros do GEI com mais de 30% de representação feminina na direção têm, em média, 27% de mulheres executivas dentro da companhia, em comparação com 20% de mulheres executivas em empresas com menos de 30% de mulheres na liderança.

“O GEI continua a identificar áreas de impacto para as empresas, ajudando a facilitar mudanças significativas que, em última instância, contribuirão para mais inovação, criatividade e maior desempenho”, diz Patricia Torres, líder global da Bloomberg Sustainable Finance Solutions.

Outro tema entre as empresas associadas é a integração de políticas de diversidade na avaliação de executivos. Este ano, 64% dos membros do GEI implementaram metas de diversidade e inclusão para gerentes em avaliações de desempenho, um aumento de 8 pontos percentuais em relação ao ano passado. Além disso, 86% dos membros oferecem treinamento de vieses inconscientes, com 74% dessas empresas acompanhando a conclusão dos gerentes.

 

Acompanhe tudo sobre:DiversidadeMulheresRankings

Mais de ESG

Energia solar avança e potência instalada equivale a três usinas de Itaipu

Comissão do Senado aprova tarifa social de água e esgoto para famílias de baixa renda

Ferramenta gratuita da ONU ajudará empresas na avaliação de direitos humanos

Produtos feitos sob trabalho forçado terão as portas fechadas na UE

Mais na Exame