EXAME premia as Melhores do ESG

Evento em São Paulo reúne lideranças empresariais de 15 setores da economia
O evento de premiação do Guia Melhores do ESG, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, reuniu lideranças de 46 empresas (Leandro Fonseca/Exame)
O evento de premiação do Guia Melhores do ESG, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, reuniu lideranças de 46 empresas (Leandro Fonseca/Exame)
R
Rodrigo Caetano

Publicado em 29/06/2022 às 04:04.

Última atualização em 29/06/2022 às 06:23.

A premiação do Guia Melhores do ESG reuniu, em São Paulo, líderes de 46 empresas. CEOs e executivos subiram ao palco do Museu da Casa Brasileira, onde foi realizado o evento na quinta-feira, 23, para receber o reconhecimento. Foram premiados os três destaques de cada um dos 15 setores analisados, além do prêmio “Compromisso ESG” e “Empresa ESG do ano”.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui

Guia EXAME ESG

O Guia ESG é uma parceria da Exame com o Ibmec. Mais de 200 empresas se inscreveram e responderam ao questionário, que continha uma parte quantitativa e outra qualitativa, cada uma com 50% do peso.

Na parte quantitativa, as empresas responderam 45 perguntas, iguais para todos os setores, que abordavam aspectos ambientais, sociais e de governança. Na parte qualitativa, cada companhia respondeu três perguntas específicas para cada setor, considerando seus pontos materiais. Com base nesse questionário, foram definidos os destaques de cada setor.

Prêmios especiais

Além dos destaques setoriais, a EXAME premiou a Ambipar como “Empresa ESG do ano”. A companhia de saneamento desenvolve estratégias ESG para seus clientes, atuando na solução dos problemas. O crescimento do tema também se refletiu no crescimento da Ambipar: entre 2018 e 2021, a empresa multiplicou seu EBITDA por cinco vezes.

Neste ano, a EXAME adicionou uma categoria ao guia Melhores do ESG: “Compromisso ESG”. O objetivo é reconhecer as empresas que, diante do desafio de reinventar seus negócios, se comprometeram com a mudança. O primeiro reconhecimento foi para a JBS, a maior empresa de proteína animal do mundo. Seus desafios são conhecidos. A cadeia da pecuária, no Brasil, tem problemas que vão do desmatamento ao trabalho análogo à escravidão. O rebanho brasileiro, o maior do mundo, é também o maior emissor de gás metano, um dos mais poluentes. Mas há soluções, e elas passam por investimentos em tecnologia e mudança de mentalidade.

Uma agenda em ascensão

O evento contou também com discurso de Carlo Pereira, diretor executivo da Rede Brasil do Pacto Global. Em sua fala, Pereira lembrou que “das 1000 maiores empresas no Brasil, apenas 10% tem inventários de gases de efeito estufa auditados, e não muito mais que isso possuem inventario”. Mas esse dado revela o potencial de crescimento dessa agenda que, segundo Pereira, vai se consolidar, impulsionada por três pontos: mudanças climáticas, revolução digital e hábitos das novas gerações. “Soluções e inflexões são parte do jogo, mas a tendência é muito clara”, ponderou Pereira.

Conheça as Melhores do ESG no site especial do guia: clique aqui