Esfera Brasil

Sustentabilidade, energia e mídias digitais são temas de diálogo na Esfera Brasil

Seminário Brasil Hoje reúne ministros, empresários e os governadores Tarcísio de Freitas e Helder Barbalho para falar sobre riscos e oportunidades

No evento, o governador do Pará fala sobre sustentabilidade amazônica, e o governador de São Paulo comenta sobre segurança e investimentos (Esfera Brasil/Divulgação)

No evento, o governador do Pará fala sobre sustentabilidade amazônica, e o governador de São Paulo comenta sobre segurança e investimentos (Esfera Brasil/Divulgação)

Esfera Brasil
Esfera Brasil

Plataforma de conteúdo

Publicado em 11 de maio de 2023 às 08h30.

Os desafios estão postos para o Brasil em diferentes áreas, como meio ambiente, infraestrutura, mídias digitais e segurança. Por outro lado, há também oportunidades e soluções inovadoras que podem fazer com que o País desponte como potência global, como as energias limpas. Para tratar desses temas, a Esfera Brasil realiza na próxima segunda-feira, 15, o Seminário Brasil Hoje, em São Paulo.

O evento vai reunir empresários, representantes dos governos estaduais e federal e autoridades do Judiciário ao longo de quatro painéis. Em pauta estão a sustentabilidade amazônica, o cuidado com a disseminação de informações falsas, os pilares de infraestrutura e energia, além da segurança na maior cidade do País: São Paulo.

De acordo com a CEO da Esfera Brasil, Camila Camargo, “o encontro vai discutir temas tão relevantes para o Brasil, e fazemos esse grande debate com representantes dos Três Poderes e empresários. É hora de o Brasil aproveitar as oportunidades, seu potencial, e se tornar o protagonista mundial que pode ser”.

Adriano Pires, sócio-fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), vai mediar um dos painéis. Para ele, infraestrutura e energia precisam ser discutidas com cuidado no Brasil. “Falar disso é falar de crescimento econômico, de geração de emprego, de desenvolvimento sustentável, inclusive de meio ambiente e de redução de custo logístico, que tanto o País precisa, especialmente para o agronegócio”, destaca.

Veja também: Entenda as diferenças entre as energias renováveis e não renováveis

Debate sobre regulação dos meios de comunicação esbarra em temor de censura

Eletromobilidade e a mudança climática

Participam do painel o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e o procurador-geral da República, Augusto Aras.

Segundo Adriano Pires, o Brasil deve usar a infraestrutura e a energia existentes para ser um país diferenciado no mundo. “Temos uma matriz de energia muito limpa. O Brasil está na vanguarda na questão do meio ambiente e pode se solidificar como um país que vai exportar produtos com energia limpa e ter uma vantagem comparativa muito grande no mercado internacional”, afirma.

Amazônia em foco

A sustentabilidade na Amazônia é o tema do painel de abertura do Seminário Brasil Hoje. Participam o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), e o vice-presidente executivo de Assuntos Corporativos e Institucionais da Vale, Alexandre D´Ambrosio.

Neste momento em que o mundo fala em preservação da Amazônia, Belém é a candidata brasileira a sediar a COP30 (Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas), que será realizada em 2025.

Para Helder Barbalho, os brasileiros precisam ter pleno conhecimento do incalculável patrimônio que a Amazônia representa para o Brasil e da necessidade de se combater o garimpo e o desmatamento ilegais.

“Não podemos prescindir, em hipótese alguma, de uma floresta dessa magnitude, com tamanha e farta biodiversidade e que pode muito bem, obedecendo uma legislação clara e efetiva, gerar emprego, renda e favorecer especialmente os povos que vivem na floresta”, ressalta o governador.

Alexandre D’Ambrosio destacou que o País já é referência em produção de energia limpa. Hoje mais de 80% da matriz elétrica e 47% da matriz energética são baseadas em fontes renováveis. “O Brasil, como um dos maiores países mineradores do mundo, mostra que a mineração sustentável pode fazer parte da agenda verde mundial. O País tem condições de assumir o protagonismo nas discussões globais sobre descarbonização, preservação e revolução energética”, garante.

O executivo da Vale também lembrou que a sustentabilidade deve ser tratada como um eixo transversal da estratégia de desenvolvimento do País, por permear todas as atividades econômicas. “O desenvolvimento sustentável que buscamos passa por ações de proteção e recuperação ambiental, estratégias de redução de emissões de gases de efeito estufa e iniciativas de descarbonização. Mas não apenas isso: é preciso que esteja conectado com programas de geração de renda para as comunidades locais, garantia de proteção dos direitos das comunidades tradicionais, segurança alimentar e desenvolvimento socioeconômico”, diz.

Mídias digitais

A polêmica regulamentação das mídias digitais, defendida pelo governo Lula (PT), também estará em discussão. O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta, o CEO do Google, Fábio Coelho, o senador Angelo Coronel (PSD), relator do Projeto de Lei (PL) das Fake News no Senado, o deputado federal Orlando Silva (PCdoB), que é o relator na Câmara, e Miriam Wimmer, diretora da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), serão palestrantes no encontro.

Para Camila Camargo, é essencial trazer temas da atualidade para uma discussão qualificada. “A digitalização da vida cotidiana tem acontecido em ritmo acelerado, e é preciso discutir seus potenciais e riscos o quanto antes. Somos a favor de uma regulamentação, mas também que haja amplo debate com a sociedade civil”, pontua.

O senador Angelo Coronel explica que, desde 2020, o Congresso debate o PL 2630, das fake news. Agora, é a vez da Câmara analisar o assunto, que vai retornar ao Senado para a palavra final.

“Esse debate se dá com base na garantia da liberdade de expressão, proteção da sociedade e da democracia. O Congresso, hoje, é amplamente favorável a uma regulamentação. No entanto, o que se discute é que tipo de regulamentação e em quais bases ela deve se dar”, explica.

O parlamentar lembra que a regulação das redes é discutida nas principais democracias do mundo. A União Europeia aprovou recentemente um texto com a regulamentação dos meios digitais, e não apenas das redes sociais. É importante destacar, como lembra o senador, que não se trata de censura.

“O foco é inibir o cometimento de crimes nas redes sociais. Criminosos se valem do anonimato para difamar pessoas e marcas, atacar instituições, inviabilizar eleições e aplicar os mais diversos golpes nos cidadãos. Precisamos tornar mais ágeis as possibilidades de remoção de conteúdos e de responsabilização, inclusive das plataformas”, defende.

Em debate

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), André do Prado (PL), e o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Ricardo Anafe, participam do painel sobre a segurança na maior metrópole do Brasil e a importância da boa relação entre os três poderes estaduais para o desenvolvimento econômico.

Já o secretário estadual de Governo e Relações Institucionais de São Paulo, Gilberto Kassab, vai palestrar aos empresários sobre o atual cenário político no País e os desafios para o estado.

Acompanhe tudo sobre:SustentabilidadeMídia

Mais de Esfera Brasil

Relatório vê viabilidade técnica e ambiental para recuperação da BR-319, entre Manaus e Porto Velho

Transformação digital pode aumentar produtividade e reduzir custos, diz Márcio Elias Rosa

Segurança passa por investimentos em tecnologia e inteligência, diz Pierpaolo Bottini

Setor de saúde e medicamentos reforça pedido por exceções na reforma tributária

Mais na Exame