Um conteúdo Esfera Brasil

Febraban fortalece combate a fraudes

De acordo com levantamento da Serasa Experian, um brasileiro é alvo de golpistas a cada 9 segundos
Um dos casos que será destacado é o golpe do link falso, no qual ofertas muito atrativas chegam por e-mail ou redes sociais como iscas (Truora/Divulgação)
Um dos casos que será destacado é o golpe do link falso, no qual ofertas muito atrativas chegam por e-mail ou redes sociais como iscas (Truora/Divulgação)
E
Esfera BrasilPublicado em 05/10/2022 às 09:00.

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) lançou recentemente a segunda fase da campanha de prevenção a fraudes “Pare e Pense: Pode ser Golpe”, com informações para que os clientes se protejam de golpes aplicados atualmente, como o do aplicativo de mensagens e o da Falsa Central de Atendimento, entre outros. O movimento tem grande relevância nacional, uma vez que o Brasil é um país com alto volume de golpes. De acordo com levantamento da Serasa Experian, um brasileiro é alvo de golpistas a cada 9 segundos.

Até o fim de outubro, a campanha irá abordar 11 tipos de golpes com dicas de prevenção. Um dos casos que será destacado é o golpe do link falso, no qual ofertas muito atrativas chegam por e-mail ou redes sociais como iscas para que os usuários informem seus dados pessoais como número de CPF, conta, cartões e senhas. Essas mensagens também podem instalar vírus e aplicativos que roubam seus dados, deixando vulneráveis todas as suas contas.

Gerente executiva de Marketing da Febraban, Madalena Nader destaca que a federação e seus associados investem constantemente e de maneira massiva em campanhas e ações de conscientização em seus canais de comunicação com os clientes para orientar a população a se prevenir de fraudes. Nas redes da Federação, a comunicação antifraudes e golpes prossegue de forma ininterrupta por meio do site, onde serão postadas também informações da campanha.

Ainda de acordo com a instituição, os bancos investem cerca de R$ 3 bilhões por ano em sistemas de tecnologia da informação (TI) voltados para segurança – valor que corresponde a cerca de 10% dos gastos totais do setor com TI para garantir a tranquilidade de seus clientes em suas transações financeiras cotidianas.