Acompanhe:

Varejo de SP tem perdas de R$ 16 bilhões durante quarentena

De acordo com a FecomercioSP, a perda estimada representa 6% de todo o faturamento esperado para o setor este ano

Modo escuro

Continua após a publicidade
Fila em frente loja no centro comercial de Campinas, interior de SP: mesmo com a retomada gradual das atividades, o quadro ainda deve continuar complicado para o setor (ROGÉRIO CAPELA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/Estadão Conteúdo)

Fila em frente loja no centro comercial de Campinas, interior de SP: mesmo com a retomada gradual das atividades, o quadro ainda deve continuar complicado para o setor (ROGÉRIO CAPELA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/Estadão Conteúdo)

R
Reuters

Publicado em 5 de junho de 2020 às, 15h39.

Última atualização em 5 de junho de 2020 às, 16h18.

O comércio varejista de São Paulo já contabiliza prejuízo de R$ 16 bilhões por conta do período de isolamento social, que levou ao fechamento dos estabelecimentos para conter a propagação do novo coronavírus.

O cálculo é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), levando em consideração 72 dias de quarentena até ontem (4).

Conforme a FecomercioSP, a perda estimada representa 6% de todo o faturamento esperado para o setor este ano. Já o prejuízo diário calculado é de cerca de R$ 220 milhões, o que significa, em média, 30% do total das vendas esperadas por dia.

Mesmo com a retomada gradual das atividades, o quadro ainda deve continuar complicado para o setor. A federação lembra que o tempo de funcionamento dos estabelecimentos poderá ser reduzido, somando-se ainda a um cenário econômico comprometido, que deve ser retomado lentamente.

Diante deste cenário, a FcomercioSP reforça a inviabilidade de os comerciantes arcarem com os custos de testes laboratoriais para covid-19, como apontado no decreto publicado pela Prefeitura de São Paulo.

"A FecomercioSP enviou ofício questionando o ônus da realização de testes laboratoriais para o coronavírus ao setor privado", diz. Conforme a federação, o empresariado já passa por uma crise sem precedentes e tem dificuldade de manter os negócios, principalmente no momento da retomada.

A entidade lembra que assim que o governo local informou que faria a reabertura gradual das atividades, a federação apresentou uma pauta de ações para a Prefeitura de São Paulo para a reabertura do comércio local, com sugestões de protocolos de saúde, higiene, regras de autorregulação, fiscalização, política de comunicação e proteção aos consumidores e funcionários. A proposta construída pela Entidade tomou como base as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Últimas Notícias

Ver mais
Banco Mundial alerta para horizonte 'sombrio' e maior disparidade de renda em países pobres
Economia

Banco Mundial alerta para horizonte 'sombrio' e maior disparidade de renda em países pobres

Há 2 dias

Anvisa proíbe venda de álcool 70% em supermercados e farmácias
Brasil

Anvisa proíbe venda de álcool 70% em supermercados e farmácias

Há uma semana

Cerca de 70% dos brasileiros não conhecem o potencial de gravidade da gripe, diz pesquisa
Brasil

Cerca de 70% dos brasileiros não conhecem o potencial de gravidade da gripe, diz pesquisa

Há uma semana

Negociações na OMS sobre acordo para futuras pandemias ainda enfrentam obstáculos
Mundo

Negociações na OMS sobre acordo para futuras pandemias ainda enfrentam obstáculos

Há 3 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais