Economia

Como investir nos EUA? Saiba como escolher ações internacionais

Conheça alguns fatores para levar em consideração antes de investir na bolsa americana

O mercado americano oferece mais de 5 mil ações para o investidor.

O mercado americano oferece mais de 5 mil ações para o investidor.

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 28 de maio de 2024 às 16h00.

Última atualização em 6 de junho de 2024 às 11h00.

Investir na bolsa americana pode trazer uma série de vantagens ao investidor brasileiro. Um dos principais benefícios é a oferta de ativos, que é significativamente maior por lá.

O mercado americano oferece mais de 5 mil ações, enquanto a bolsa brasileira, a B3, tem 445 companhias listadas. Somente o S&P 500, que é um dos principais índices dos Estados Unidos, reúne 500 empresas de capital aberto listadas na bolsa de valores de Nova York (NYSE). A NYSE como um todo tem mais de 2 mil papeis, e a Nasdaq, conhecida por abrigar principalmente empresas de tecnologia, mais de 3 mil.

Como investir nos EUA?

Existem várias formas de investir, incluindo a compra direta de ações de empresas listadas nas bolsas americanas, como a NYSE e a NASDAQ. Para isso, é necessário abrir uma conta em uma corretora que ofereça acesso ao mercado americano, muitas das quais possuem operações no Brasil e facilitam o processo de transferência de recursos. Além das ações, os investidores podem optar por fundos de investimento, ETFs (Exchange-Traded Funds) e REITs (Real Estate Investment Trusts), que oferecem exposição a diversos setores e ativos com maior facilidade e menor custo.

Outro aspecto importante ao investir nos EUA de renda sobre investimentos pode ter alíquotas variadas e isenções, nos EUA, os investidores estrangeiros estão sujeitos a impostos retidos na fonte sobre dividendos e juros recebidos. É essencial entender as regras do imposto de renda internacional para evitar surpresas desagradáveis. Além disso, a variação cambial pode impactar significativamente o retorno do investimento, tanto positiva quanto negativamente, por isso é importante considerar estratégias de hedge cambial para mitigar esses riscos.

Investir nos EUA também requer atenção às regulamentações locais e às diferenças culturais no ambiente de negócios. Manter-se informado sobre as tendências econômicas, políticas e setoriais é crucial para tomar decisões de investimento bem fundamentadas. Participar de fóruns, conferências e consultar relatórios de análise pode ajudar a construir um portfólio robusto e alinhado com os objetivos financeiros de longo prazo. Em resumo, investir nos EUA oferece vastas oportunidades, mas requer planejamento cuidadoso e uma compreensão clara dos desafios e riscos envolvidos.

Agora, diante de tanta oferta, como escolher as melhores ações internacionais?

Comprar ações na baixa

É possível se guiar por vários fatores para escolher ações internacionais. Uma das recomendações é tentar encontrar o melhor momento para a compra de ações, com base em previsões dos movimentos futuros dos preços dos papéis. Essas previsões normalmente são baseadas em estudos das condições econômicas e resultados das empresas, entre outros.

No entanto, vale ressaltar que são previsões – e não garantias de que o preço da ação vai seguir o rumo esperado. Investidores costumam falar, portanto, em janelas de oportunidades para a compra de ações. Nessas janelas, os preços dos papéis costumam ficar atrativos, especialmente pensando no longo prazo. Isso significa “comprar ações na baixa”.

Também é importante pontuar que nem sempre o preço baixo de uma ação significa que é um bom momento de compra. É preciso fazer uma análise mais ampla para entender o risco da aquisição.

Dividendos em dólar

Além da possibilidade de valorização do ativo, outro ponto a ser analisado para comprar ações internacionais são os dividendos pagos pelas empresas. Algumas companhias pagam dividendos aos seus acionistas, ou seja, repartem uma parcela do lucro que a organização teve em determinado período.

Para isso também é preciso analisar alguns fatores e, com base nessa análise, tentar prever se a empresa seguirá pagando bons dividendos nos próximos exercícios.

Olhar no retrovisor, ou seja, o histórico de pagamentos de dividendos de determinada empresa, não é garantia de lucros futuros, mas pode ser um indicativo de como determinado papel costuma remunerar seus acionistas.

Onde investir nos EUA?

Um relatório da Economatica, por exemplo, traz as ações da Nasdaq que mais pagaram dividendos em 2023. São elas:

  • Microsoft (MSFT)
  • Broadcom (AVGO)
  • Comcast (CMCSA)
  • Texas Instruments (TEXA)
  • Amgen (AMGN)
  • Apple ( AAPL)
  • Gilead Sciences (GILD)
  • Intel Corp (ITLC)
  • Asml Holding (ASML)
  • Mondelez International (MDLZ)

Hoje, é possível investir nos ativos da NYSE ou da Nasdaq a partir do Brasil. Para isso, basta abrir uma conta global em uma plataforma que opere esse tipo de serviço.

Acompanhe tudo sobre:branded-contentInvestir Nomad

Mais de Economia

Concentração bancária tem tímida queda em 2023 e quatro maiores bancos detinham 58% dos empréstimos

Banco Central Europeu realiza primeiro corte de juros desde 2019

Pessoas e empresas que estão em áreas de calamidade pública terão linha de crédito facilitada

Mais na Exame