Economia

Produção diária de aço bruto da China recua 3,2%

Segundo dados da agência de estatísticas, país produziu 2,14 milhões de toneladas de aço bruto por dia no mês de março


	Funcionário observa vergalhões de aço serem erguidos em uma siderúrgica na província de Liaoning, na China
 (China Daily/Reuters)

Funcionário observa vergalhões de aço serem erguidos em uma siderúrgica na província de Liaoning, na China (China Daily/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 15 de abril de 2013 às 08h52.

Pequim - A China produziu 2,14 milhões de toneladas de aço bruto por dia em março, uma queda de 3,2 por cento em relação ao mês anterior, com as siderúrgicas ainda cautelosas sobre as perspectivas de uma recuperação sazonal da demanda, mostraram dados da agência de estatísticas do país, nesta segunda-feira.

Apesar disso, o volume total de produção foi 6,6 por cento maior do que o apurado no mesmo período do ano passado, informou a agência, mas a demanda manteve-se relativamente fraca, com os estoques dos produtos subindo para níveis recordes em março.

Em uma base mensal, a China produziu 66,3 milhões de toneladas de aço bruto em março, um aumento de 7,2 por cento em relação a fevereiro.

A produção total de aço no primeiro trimestre de 2013 ficou em 191,75 milhões de toneladas, expansão de 10,1 por cento em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com cálculos da Reuters.

Em uma base anualizada, o valor corresponde a 777,65 milhões de toneladas, um aumento de 8,5 por cento quando comparado com todo o ano de 2012.

Mas as incertezas sobre a demanda da distribuição permanecem, com estoques de produtos de aço em 22 cidades monitoradas pela Associação de Ferro e Aço da China (Cisa) atingindo um nível recorde de 15,56 milhões de toneladas em março, um aumento de quase um 25 por cento em apenas um mês.

Na semana passada, a maior siderúrgica da China com ações listadas em bolsa, Baosteel, anunciou que decidiu manter os preços de seus produtos principais inalterados para maio, na primeira vez em seis meses em que não promoveu reajustes. O mercado espera que outras usinas sigam o exemplo.

A empresa avisou quando publicou seus resultados anuais do ano passado que apesar do cenário do setor de aço se mostrar mais favorável em 2013, as dificuldades permaneciam grandes, com excesso de capacidade produtiva tendendo a piorar.

Acompanhe tudo sobre:acoÁsiaChinaIndústriaSiderurgiaSiderurgia e metalurgia

Mais de Economia

Petrobras prevê perfurar novos poços do pré-sal em 2025 para garantir futuro da bacia de Campos

Senado estuda usar atualização do IR e repatriação para compensar desoneração

‘Temos absoluta confiança que o dólar vai cair’, diz Geraldo Alckmin

Lula rebate rumores de pressão e diz que Haddad é 'extraordinário ministro'

Mais na Exame