Economia

Portaria reajusta auxílio-alimentação de servidores federais de R$ 658 para R$ 1 mil

A decisão alcança os servidores da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, com início a partir de 1º de maio de 2024

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 30 de abril de 2024 às 13h17.

Última atualização em 30 de abril de 2024 às 13h24.

A ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, formalizou no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 30, o acordo fechado com entidades representativas dos servidores públicos federais por um reajuste de 52% no valor do auxílio-alimentação da categoria.

Portaria assinada pela ministra estabelece que o valor mensal do auxílio passa a ser de R$ 1 mil em todo o território nacional, com efeitos financeiros a partir de 1º de maio de 2024. A decisão alcança os servidores da administração pública federal direta, autárquica e fundacional.

O valor em vigor até esta terça-feira é de R$ 658. As negociações foram conduzidas pelo ministério comandado por Dweck.

Segundo nota divulgada à imprensa, já no ano passado, os servidores tiveram um aumento salarial linear de 9% e uma elevação de 43,6% no auxílio-alimentação, que era R$ 458 e foi para R$ 658.

No acordo, também ficou decidido que haverá um aumento no auxílio-saúde, denominado de assistência à saúde complementar per capita média. O valor do benefício, hoje de R$ 144,38, passará para cerca de R$ 215.

Também haverá um acréscimo no auxílio-creche, que é de R$ 321 e vai para R$ 484,90. O ato relativo ao auxílio-saúde também está no Diário Oficial desta terça.

Acompanhe tudo sobre:Servidores públicosReajustes salariais

Mais de Economia

Plano Real, 30 anos: Edmar Bacha e o papelzinho azul que deu origem à nova moeda

Plano Real, 30 anos: "URV, POR QUE ESSE PLANO É MELHOR QUE TODOS OS ANTERIORES?"

Plano Real, 30 anos: a reforma das reformas — e o futuro da moeda no Brasil

Mais na Exame