Inflação anual na zona do euro atinge recorde de 8,6% em junho

A Inflação recorde, que segue influenciado pelos efeitos da guerra na Ucrânia, pressiona o Banco Central Europeu (BCE) a seguir adiante com planos de elevar juros pela primeira vez em 11 anos
Inflação na Europa: Em relação a maio, o CPI da zona do euro avançou 0,8% em junho, em linha com o consenso do mercado (Kai Pfaffenbach/Reuters)
Inflação na Europa: Em relação a maio, o CPI da zona do euro avançou 0,8% em junho, em linha com o consenso do mercado (Kai Pfaffenbach/Reuters)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 19/07/2022 às 07:41.

Última atualização em 19/07/2022 às 08:32.

A taxa anual de inflação ao consumidor (CPI, pela sigla em inglês) da zona do euro atingiu nova máxima histórica de 8,6% em junho, ao acelerar de 8,1% em maio, segundo dados finais divulgados nesta terça-feira pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O resultado de junho confirmou a leitura preliminar e veio em linha com a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.

O CPI recorde, que segue influenciado pelos efeitos da guerra na Ucrânia, pressiona o Banco Central Europeu (BCE) a seguir adiante com planos de elevar juros pela primeira vez em 11 anos. O BCE, cuja meta de inflação é de 2%, fará anúncio de política monetária na próxima quinta-feira (21).

Em relação a maio, o CPI da zona do euro avançou 0,8% em junho, em linha com o consenso do mercado. Apenas o núcleo do CPI do bloco, que desconsidera os preços de energia e de alimentos, teve ganho anual de 3,7% em junho, confirmando a estimativa prévia. Já no confronto com maio, o núcleo do índice avançou 0,2% no último mês.

Inflação na Europa, BCE contracionista, produção da Vale e o que mais move o mercado

As duas crises de Draghi: premiê busca gás na Argélia enquanto tenta sobreviver em casa