Economia

Governo adia leilão de portos por conta das chuvas no Rio Grande do Sul

Certame estava previsto para 23 de maio, e nova data não foi informada

Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, inundada pela enchente que assola o estado (Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul (SEDAC)/Divulgação)

Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, inundada pela enchente que assola o estado (Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul (SEDAC)/Divulgação)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 13 de maio de 2024 às 14h15.

Tudo sobreEnchentes no RS
Saiba mais

O governo federal adiou o leilão de seis terminais portuários que estava marcado para 23 de maio na Bolsa B3, em São Paulo. A decisão foi anunciada pelo Ministério de Portos e Aeroportos em decorrência da situação de calamidade devido às cheias no Rio Grande do Sul.

"Em razão da situação de calamidade pública em que se encontra o estado do Rio Grande do Sul, devido às enchentes causadas por fortes chuvas, e em respeito aos familiares e amigos das vítimas da tragédia", disse o Ministério em nota.

O certame, o primeiro do atual governo, prevê o arrendamento de seis áreas: quatro localizadas no Porto de Recife (PE, uma no Porto do Rio de Janeiro (RJ) e uma no Porto de Rio Grande (RS).

A nova data ainda não foi marcada e será anunciada em breve, segundo o Ministério.

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaGoverno LulaEnchentes no RSLeilõesB3Rio Grande do Sul

Mais de Economia

Em 4 anos, rotas de integração vão ligar Brasil à Ásia, prevê Tebet

Anatel poderá retirar do ar sites de e-commerce por venda de celulares irregulares

Carteira assinada avança, e número de trabalhadores por conta própria com CNPJ recua

Em 2023, emprego foi recorde e número de trabalhadores com ensino superior chegou a 23,1%

Mais na Exame