Acompanhe:

Governadores afirmam que governo federal irá compensar estados pelas perdas com redução do ICMS

Nova reunião nesta semana vai definir detalhes da ação

Modo escuro

Continua após a publicidade
ICMS: ainda não há consenso, porém, sobre o valor que será reparado, o prazo e a forma de pagamento (Washington Costa/MF/Flickr)

ICMS: ainda não há consenso, porém, sobre o valor que será reparado, o prazo e a forma de pagamento (Washington Costa/MF/Flickr)

A
Agência O Globo

Publicado em 7 de fevereiro de 2023 às, 20h33.

Última atualização em 7 de fevereiro de 2023 às, 20h44.

Após reunião com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, governadores anunciaram nesta terça-feira que o governo federal irá compensar as perdas de arrecadação com o ICMS ocorridas em 2022 por conta de leis aprovadas no ano passado, mas que isso será feito de forma parcelada.

De acordo com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, o secretário do Tesouro, Rogério Ceron, deve se reunir na quarta-feira com secretários de Fazenda dos estados para discutir os detalhes do assunto.

Ainda não há consenso, porém, sobre o valor que será reparado, o prazo e a forma de pagamento.

O movimento é uma tentativa de compensar a queda na arrecadação após o Congresso ter aprovado, em junho, um projeto endossado pelo governo Jair Bolsonaro para reduzir o ICMS sobre combustíveis, energia elétrica e telecomunicações.

Esse projeto fixou em 17% ou 18%, a depender do estado, a alíquota máxima do ICMS. O objetivo era baixar os preços, sobretudo da gasolina, às vésperas das eleições.

Há divergências sobre os valores envolvidos nas perdas. Os governadores apontam perdas de R$ 45 bilhões no período de redução de ICMS, enquanto o governo de Jair Bolsonaro (PL) apontava R$ 18 bilhões de impacto.

Perdas: Light diz à Aneel que geração de caixa é 'insuficiente’ para garantir sustentabilidade da concessão

De acordo com Casagrande, o governo federal pediu para que a recomposição das perdas seja feita dentro dos quatro anos de mandato.

— Saímos bem encaminhados com relação às compensações das perdas de 2022 — disse o governador.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, disse que a “compensação vai oxigenar a situação dos estados e municípios”.

— Entendemos que o governo, ao parcelar compensação, também está nos atendendo no momento em que ele nos ajude a ter do Supremo (Tribunal Federal) o parecer favorável a esses temas — afirmou Caiado.

A forma como será feita a compensação também será negociada. Para estados que possuem dívida com a União, como o Rio Grande do Sul, pode ser vantajoso deixar de pagar parte dessa dívida por conta do acordo. Outros estados não têm dívidas

Últimas Notícias

Ver mais
Setor privado afirma que Haddad estaria 'mal informado' sobre Perse; ministro rebate
Economia

Setor privado afirma que Haddad estaria 'mal informado' sobre Perse; ministro rebate

Há 8 horas

Fazenda trabalha com 'PIB potencial' entre 2% e 2,5%, diz secretário de Política Econômica
Economia

Fazenda trabalha com 'PIB potencial' entre 2% e 2,5%, diz secretário de Política Econômica

Há 9 horas

Economia de Israel encolheu quase 20% com a guerra contra Hamas desencadeada após atentado
Economia

Economia de Israel encolheu quase 20% com a guerra contra Hamas desencadeada após atentado

Há 19 horas

Governo proíbe a criação de fundos de previdência exclusivos para super-ricos
Economia

Governo proíbe a criação de fundos de previdência exclusivos para super-ricos

Há 19 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais