Economia

Faturamento dos setores atacadista e de distribuição recua 9,29% em maio

Na comparação com abril houve leve alta de 0,05%. No acumulado de janeiro a maio o recuo foi de 4,60% ante igual etapa do ano anterior

Greve dos caminhoneiros prejudicou o desempenho do setor atacadista e distribuidor (Getty Images/Getty Images)

Greve dos caminhoneiros prejudicou o desempenho do setor atacadista e distribuidor (Getty Images/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 11 de julho de 2018 às 17h24.

São Paulo - O faturamento dos setores atacadista e de distribuição recuou 9,29% em maio, em termos nominais, ante igual período do ano passado, aponta pesquisa mensal da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad), apurada pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Na comparação com abril houve leve alta de 0,05%. No acumulado de janeiro a maio o recuo foi de 4,60% ante igual etapa do ano anterior.

Em nota, o presidente da Abad, Emerson Destro, explica que a greve dos caminhoneiros prejudicou o desempenho do setor atacadista e distribuidor em maio assim como outros setores da economia. "Mas ninguém foi mais prejudicado do que a população, que é quem sempre paga a conta da instabilidade política e econômica", destaca.

Para o presidente da entidade, com o desemprego em alta é difícil pensar no crescimento do consumo ainda em 2018. "Começamos o ano com boas expectativas em relação à retomada econômica, mas o nível de desemprego continua alto e não há tempo para reverter essa situação com um cenário de eleições que vai tomar todo o segundo semestre.

"O ano de 2019 será mais um de resiliência. Esperamos que o novo presidente assuma com apoio suficiente do Congresso para implementar a agenda positiva de que o País tanto necessita", avalia.

Acompanhe tudo sobre:AtacadoFIA

Mais de Economia

PEC promove "privatização" do BC e pode ter custo fiscal ao país, dizem especialistas

Alckmin destaca compromisso do governo com o arcabouço fiscal

Haddad diz que Brasil é uma “encrenca”, mas que tem potencial de ser “grande”

Brasil está pronto para acordo Mercosul e União Europeia, diz Lula

Mais na Exame