Acompanhe:

Faturamento de Natal nos shoppings cresce 58% em relação a 2020

Vendas somaram R$ 204 bilhões; presentes mais procurados foram roupas (61%), brinquedos (37%), perfumes e cosméticos (36%)

Modo escuro

Continua após a publicidade
Vendas de Natal nos shoppings chegam a R$ 204 bilhões (Valter Campanato/Arquivo/Agência Brasil)

Vendas de Natal nos shoppings chegam a R$ 204 bilhões (Valter Campanato/Arquivo/Agência Brasil)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 27 de dezembro de 2021 às, 15h18.

Última atualização em 27 de dezembro de 2021 às, 16h12.

O Natal de 2021 registrou um aumento real de 10% nas vendas de lojistas de shopping em relação ao ano passado, mas ainda está distante de alcançar o patamar de 2019. Segundo a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), cerca de 123,7 milhões de consumidores foram às compras nesta época natalina.

Estima-se que as vendas dentro dos centros de compras tenham somado 204 bilhões de reais, o que representa um crescimento de 58% em relação a 2020, época em que os empreendimentos estavam afetados pela pandemia, com restrições de público. Se comparado ao faturamento de 2019, porém, é prevista uma redução de 3,5% das vendas.

Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e acesse as notícias mais importantes do Brasil em tempo real.

A alta do dólar, a inflação, o desemprego elevado, a falta de confiança do consumidor, a falta de matéria-prima e ainda a falta de produtos no mercado em vários segmentos são elencados pela Alshop como fatores que barram um aquecimento maior de vendas.


De acordo com o levantamento, cerca de 77% dos consumidores compraram lembranças como maneira de se conectar com as festividades de final de ano.

E os presentes mais procurados nesta ocasião foram roupas com 61%, brinquedos 37%, seguido de perfumes, cosméticos e calçados, ambos com 36% e acessórios, opção de 24% dos consumidores.

Ainda segundo a pesquisa, as compras via e-commerce foram o principal canal de compras no Natal, com 45% da participação do público e as compras em shoppings atingiram 40%. Os dados nacionais foram colhidos de lojistas associados que representam cerca de 15.000 pontos de venda.

Contratações de temporários

A fim de atender as altas demandas esperadas para este ano, os varejistas recrutaram 94.300 trabalhadores temporários, com o salário médio mensal entre 1.600,00 e 1.900,00 reais, e a taxa de efetivação, em média, de 14%.

Os segmentos que mais contrataram foram vestuário/acessórios/calçados com 57.900 vagas, seguido de hiper e supermercados com 18.900 vagas, artigos de uso pessoal e doméstico com 11.000 vagas, móveis e eletrodomésticos finalizando com 3.000 vagas.

Já os Estados que mais contratam foram São Paulo, que lidera o ranking com 25.600 contratados, seguido de Minas Gerais, onde se contratou 10.700 e Rio de Janeiro, com 7.200 contratados.

Últimas Notícias

Ver mais
Campanha de fidelização gamificada consegue R$ 900 mi e mais 18% no ticket médio da Iguatemi S.A.
Um conteúdo Bússola

Campanha de fidelização gamificada consegue R$ 900 mi e mais 18% no ticket médio da Iguatemi S.A.

Há 4 dias

McDonald’s compra todas as franquias da marca em Israel
Mundo

McDonald’s compra todas as franquias da marca em Israel

Há uma semana

Nunca sai de moda: vendas diretas da Levi's crescem e ações sobem 7%
seloMercados

Nunca sai de moda: vendas diretas da Levi's crescem e ações sobem 7%

Há uma semana

Esta capital do Sul liderou aumento nos preços de venda de imóveis em março
seloMercado imobiliário

Esta capital do Sul liderou aumento nos preços de venda de imóveis em março

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais