Acompanhe:

Em Portugal, Lula reclama dos juros altos e diz que Brasil não vai vender empresas públicas

O presidente disse que esse nível de juros, Selic em 13,75% ao ano, desestimula investimentos e impede o consumo

Modo escuro

Continua após a publicidade
Lula: "O que queremos é parcerias. Vendemos empresas públicas para pagar juros e os serviços não melhoraram" (Ricardo Stuckert/Agência Brasil)

Lula: "O que queremos é parcerias. Vendemos empresas públicas para pagar juros e os serviços não melhoraram" (Ricardo Stuckert/Agência Brasil)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva repetiu a uma plateia de empresários brasileiros e portugueses, em Portugal, que o "Brasil tem um problema que é a taxa de juros muito alta". O presidente disse que esse nível de juros, Selic em 13,75% ao ano, desestimula investimentos e impede o consumo. Em seguida, Lula defendeu um ciclo de estímulo à economia que passe pelo consumo das classes menos favorecidas.

No raciocínio do presidente, com juros baixos e aumento de consumo, o ciclo virtuoso da economia será restabelecido. "A solução do Brasil é colocar o pobre para comprar. Já fizemos isso uma vez e vamos fazer de novo", disse.

Durante toda a sua fala no Fórum Empresarial, que acontece em Matosinhos, ao Norte de Portugal, Lula frisou que quer parcerias com os empresários brasileiros e estrangeiros para promover o crescimento e o desenvolvimento do Brasil. Nesse sentido, voltou a avisar que não venderá empresas públicas. "O que queremos é parcerias. Vendemos empresas públicas para pagar juros e os serviços não melhoraram", afirmou. Em seguida, o presidente criticou a privatização da Eletrobrás: "foi vendida e a primeira coisa que fez foi aumentar os salários da diretoria".

O presidente garantiu aos empresários que irá promover a estabilidade política, social e jurídica, criando um ambiente para atrair investimentos. "Já fomos a sexta economia do mundo e retrocedemos para a 12ª. Vamos retomar pois o Brasil está pronto para ser grande, importante e atraente", disse, acrescentando que passou os três primeiros meses de seu terceiro mandato restabelecendo políticas sociais, de ensino, que tinham sido "destruídas nos últimos quatro anos".

"Em três meses, preparamos o Brasil para um salto de qualidade. Voltamos a governar para fazer o Brasil retomar a importância. Não podemos ficar trancados a quatro chaves e vamos fazer o Brasil retomar sua importância."

Lula citou diversas áreas e setores em que o Brasil apresenta destaque e excelência e destacou o segmento de energia renovável onde Portugal está bastante presente. "O Brasil tem 80% de energia limpa", disse, lembrando também que este ano serão feitos R$ 23 bilhões de investimentos em infraestrutura.

O presidente afirmou ainda que uma das decisões desta visita foi a criação de uma agência da Apex em Lisboa e voltou a repetir que, depois de seis anos afastado do mundo, o Brasil está de volta ao cenário internacional.

Será assinado hoje em Portugal protocolo para produção do Super Tucano nos modelos da Otan

O presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil ), Jorge Viana, e o primeiro-ministro de Portugal, António Costa, confirmaram nesta segunda-feira, 24, que a Embraer, em conjunto com a Indústria Aeronáutica de Portugal (Ogam), vai produzir o Super Tucano em Portugal. As aeronaves estarão dentro das normas da Otan o que deve transformar Portugal numa plataforma para a exportação aos países membros da organização e da Europa. A informação foi antecipada pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, na última sexta-feira, 21, pelo ministro da Defesa José Múcio Monteiro. Além do Super Tucano, a Embraer tem uma parceria com a Ogma no KC 390, outro avião de guerra usado em transporte de carga e abastecimento.

Apoiadores de Lula recepcionam o presidente em Matosinhos, Portugal

Um grupo de apoiadores do PT e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, residentes em Portugal, se posicionou próximo ao local onde ocorre o Fórum Empresarial, em Matosinhos. Assim como aconteceu em Lisboa, durante as cerimônias oficiais de recepção ao presidente Lula, os apoiadores carregam bandeiras do PT e entoam slogans tradicionais como "Lula guerreiro do povo brasileiro". Lula venceu a eleição em Portugal, com 64% dos votos. O presidente iniciou por volta das 7h, pelo horário de Brasília, discurso a um grupo de cerca de 200 empresários que participam do evento.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Troca de comando e Projeto Cerrado em ação: a nova fase da Suzano pós-Schalka
Exame IN

Troca de comando e Projeto Cerrado em ação: a nova fase da Suzano pós-Schalka

Há 11 horas

Com 4º tri "de ouro", lucro da C&A dobra e bate (com folga) previsão do mercado 
Exame IN

Com 4º tri "de ouro", lucro da C&A dobra e bate (com folga) previsão do mercado 

Há 13 horas

Governo intensifica diálogo sobre rotas de integração sul-americanas na Caricom
Brasil

Governo intensifica diálogo sobre rotas de integração sul-americanas na Caricom

Há 16 horas

FecomercioSP avalia que revogação do Perse afetará receitas do setor de eventos já neste ano
Brasil

FecomercioSP avalia que revogação do Perse afetará receitas do setor de eventos já neste ano

Há 18 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais