A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Eleições complicam mudança em bancos públicos, diz Moody's

A agência de classificação de risco vê com restrição a capacidade de o governo brasileiro executar uma prometida migração do foco do crédito dos bancos públicos

São Paulo - A agência de classificação de risco Moody's vê com restrição a capacidade de o governo brasileiro executar uma prometida migração do foco do crédito dos bancos públicos devido às eleições no ano que vem. "O discurso do governo é positivo, mas, na prática, efetuar essa mudança, pode se tornar complicada", disse a analista sênior de crédito da Moody's, Ceres Lisboa.

Ceres explicou que os bancos públicos têm direcionado crédito para segmentos que não atraem o interesse, nesse momento, dos privados, como crédito pessoal, financiamento de veículos e para pequenas e médias empresas.

Nesse sentido, a especialista sugeriu que o governo deva enfrentar dificuldade em migrar o foco das instituições financeiras estatais, justamente pelo risco de gerar uma lacuna em segmentos da sociedade que possam resultar em críticas próximo às eleições.

A analista destacou ainda que o mecanismo adotado pelo governo de contrair dívida e repassar os recursos para os bancos públicos, também na forma de dívida, causa desconforto para a agência e justifica o rebaixamento dado recentemente à Caixa Econômica Federal e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"Esses recursos tomados pelo governo entraram nos bancos públicos como instrumento de dívida, o que tornou a estrutura de capital dos mesmos mais vulnerável", disse. Ela ressaltou o fato de as instituições estatais continuarem contribuindo com o governo de forma importante, com a distribuição de dividendos. "Portanto, é uma troca de riscos e essa circularidade preocupa", afirmou.

Ceres participou da 15ª Conferência Anual Moody's América Latina nesta terça-feira, 01.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também