Economia

Depois da crise do cacau, baunilha também enfrenta disparada nos preços

Principal região de cultivo em Madagascar, maior produtor do mundo, foi atingida por ciclone

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 5 de abril de 2024 às 07h01.

Os consumidores mais adeptos ao doce estão enfrentando uma "tempestade perfeita": além do aumento de preços afetando o cacau, principal matéria-prima do chocolate, agora a  cotação da baunilha, muito apreciada em sorvetes, também subiu.

De acordo com informações da Bloomberg, a principal região de cultivo de baunilha de Madagascar (maior produtor do mundo) foi atingida pelo ciclone Gamane, cujas chuvas e ventos fortes inundaram campos de plantação.

Georges Geeraerts, presidente do sindicato de exportadores de baunilha da ilha do Oceano Índico, disse que o dilúvio poderia reduzir a colheita de baunilha pela metade.
"Em um ano ruim, a produção é de cerca de 1.500 toneladas, em comparação com uma faixa de 2.000 a 2.500 toneladas", falou à agência. "Uma estimativa conservadora, antes de uma análise mais detalhada da região de cultivo, significa que a produção da safra atual pode ser tão baixa quanto 1.000 toneladas."

O clima adverso está assolando a África, com as condições de seca no sul arrasando as colheitas e contribuindo para o aumento da inflação dos alimentos. Os produtores de cacau da África Ocidental viram os rendimentos despencarem devido às fortes chuvas, mais do que triplicando os preços para até US$ 10.000 a tonelada. Isso está forçando os fabricantes de chocolate a aumentar os preços e reduzir as porções para os clientes.

A boa notícia para os amantes de sorvete é que não se espera que as restrições de fornecimento de baunilha sejam prolongadas - seu custo ainda não se recuperou de um recente excesso de oferta. "O menor impacto deste ano trará equilíbrio a partir de 2025", disse Geeraerts. "O mercado está liberalizado e o preço atual por quilograma é de cerca de US$ 60", em comparação com os US$ 250 de dois anos atrás.

Acompanhe tudo sobre:Doces

Mais de Economia

Haddad diz que terá reunião com Pacheco nesta semana para discutir dívida dos estados

Senado aprova novas regras paras os seguros, e texto segue para a Câmara

RS e BNDES negociam parceria estratégica sobre desastres ambientais

Marco dos seguros avança no Senado e segue para o plenário da Casa

Mais na Exame