China promete combater riscos do setor imobiliário e de pequenos credores

A Comissão Reguladora de Bancos e Seguros da China disse que pedirá aos bancos que forneçam o crédito de que os desenvolvedores imobiliários qualificados precisam para concluir projetos residenciais inacabados
China: As entregas domiciliares foram adiadas recentemente em meio às crescentes lacunas de financiamento enfrentadas por muitos promotores imobiliários na China (Zhang Peng/Getty Images)
China: As entregas domiciliares foram adiadas recentemente em meio às crescentes lacunas de financiamento enfrentadas por muitos promotores imobiliários na China (Zhang Peng/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 18/07/2022 às 07:26.

O regulador bancário da China está se movendo para lidar com os crescentes riscos financeiros decorrentes da queda do mercado imobiliário do país e de vários pequenos bancos enredados em uma crise de liquidez.

A Comissão Reguladora de Bancos e Seguros da China disse em comunicado publicado em seu site nesta segunda-feira, 18, que pedirá aos bancos que forneçam o crédito de que os desenvolvedores imobiliários qualificados precisam para concluir projetos residenciais inacabados. Também estudará um plano para preencher futuras lacunas de financiamento para esses projetos.

LEIA TAMBÉM: Os destaques do PIB 'estagnado' da China e o que dizem sobre o Brasil

A comissão disse que trabalhará com governos locais e outros reguladores para garantir a entrega de casas depois que proprietários de várias províncias disseram que suspenderiam os pagamentos de hipotecas em casas atrasadas. As entregas domiciliares foram adiadas recentemente em meio às crescentes lacunas de financiamento enfrentadas por muitos promotores imobiliários na China.

No mesmo comunicado, o regulador disse que está trabalhando com outros órgãos governamentais para resolver os riscos associados a cinco pequenos bancos rurais nas províncias chinesas de Henan e Anhui. Os clientes dos bancos foram impedidos de acessar suas economias desde abril.

Após uma investigação de três meses, descobriu-se que o Henan New Wealth Group manipulou os cinco bancos e usou plataformas de terceiros e corretores de fundos para coletar economias públicas disse a comissão. Também negou que os reembolsos dados na semana passada fossem devidos a um protesto montado por depositantes.

LEIA TAMBÉM: Por que a inflação recorde nos EUA é má notícia para o Brasil