Acompanhe:

O vice-ministro do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China, Xin Guobin, afirmou que em 2023 as exportações de veículos inteiros da China alcançaram 4,91 milhões de unidades, um aumento de 57,9% em relação ao ano anterior. Com esse número, há expectativas de que a China possa se tornar o maior exportador de veículos do mundo pela primeira vez.

“O setor automotivo apresentou diversos destaques no desenvolvimento no ano passado, entregando um resultado muito positivo”, disse Xin Guobin. Em 2023, a produção e venda de veículos automotores na China ultrapassaram 30 milhões de unidades pela primeira vez, mantendo a liderança global na produção por 15 anos consecutivos. Os veículos de nova energia continuam liderando globalmente, com produção de 9,587 milhões e vendas de 9,495 milhões de unidades, representando aumentos de 35,8% e 37,9% em relação ao ano anterior. As vendas de novos veículos de energia nova e verde representaram 31,6% do total de vendas de automóveis.

Em 2023, as exportações de veículos inteiros da China totalizaram 4,91 milhões de unidades, das quais 1,203 milhão foram de veículos de nova energia, registrando um aumento de 77,6% em relação ao ano anterior. As exportações de baterias elétricas atingiram um total de 127,4 GWh, um aumento de 87,1% em relação ao ano anterior. “As ‘três novidades’ adicionaram um brilho ao setor manufatureiro chinês, proporcionando um impulso e uma reputação significativos para nós”, acrescentou Xin Guobin.

Ao mesmo tempo, a indústria automobilística chinesa enfrenta desafios. Externamente, alguns países e regiões estão adotando medidas protecionistas abusivas de salvaguarda comercial. Internamente, a maioria das empresas de veículos de nova energia, especialmente aquelas focadas no mercado interno, ainda não atingiu a lucratividade. Além disso, existem deficiências nos setores de chips automotivos, e também ocorre a construção excessiva e repetitiva de projetos de veículos de nova energia.

Xin Guobin afirmou que, no próximo passo, serão implementadas e detalhadas políticas de desconto de imposto sobre a compra de automóveis; será oferecido suporte para que as empresas realizem inovações conjuntas, fortalecendo a pesquisa e desenvolvimento de tecnologias-chave, como chips automotivos, baterias de estado sólido e condução autônoma de alto nível; serão organizados testes piloto para a entrada de veículos automotores inteligentes e interligados e a aplicação integrada de “veículo-via de transporte-nuvem”; e será reforçada ainda mais a coordenação e o planejamento do desenvolvimento industrial para prevenir e mitigar riscos de excesso de capacidade de produção.

Algumas instituições de pesquisa preveem que, em 2024, a produção e venda de veículos automotores na China podem atingir cerca de 31 milhões de unidades, um aumento ligeiro de cerca de 3% em relação ao ano anterior. A produção e venda de veículos de nova energia podem chegar a cerca de 11,5 milhões de unidades, representando um aumento de aproximadamente 20%. “Acredito que essa previsão seja confiável”, concluiu Xin Guobin.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Bolsas na Ásia voltam a cair e índice de referência "apaga" ganhos do ano
seloMercados

Bolsas na Ásia voltam a cair e índice de referência "apaga" ganhos do ano

Há 3 horas

Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses
Mundo

Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses

Há 17 horas

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país
Tecnologia

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país

Há 17 horas

Nova colheitadeira que 'aprende' a colher é fabricada em Sorocaba para exportação global
EXAME Agro

Nova colheitadeira que 'aprende' a colher é fabricada em Sorocaba para exportação global

Há 18 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais