Acompanhe:

Carro híbrido pode ter alíquota de importação reduzida

Proposta prevê a fixação de uma cota de importação com alíquota "quase zero" nos primeiros anos de implementação da política de estímulos à produção

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Toytota New Prius, um carro híbrido: carros importados chegariam ao País com motor movido a gasolina e elétrico
 (Kiyoshi Ota/Bloomberg)

Toytota New Prius, um carro híbrido: carros importados chegariam ao País com motor movido a gasolina e elétrico (Kiyoshi Ota/Bloomberg)

R
Renata Veríssimo

Publicado em 13 de fevereiro de 2014 às, 19h36.

Brasília - O governo deve fixar uma alíquota de Imposto de Importação reduzida para a entrada de carros híbridos no Brasil. O Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, apurou que a proposta em estudo nas áreas técnicas dos ministérios da Fazenda e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) prevê a fixação de uma cota de importação com alíquota "quase zero" nos primeiros anos de implementação da política de estímulo à produção desse tipo de veículo no País.

As empresas habilitadas no atual regime automotivo (Inovar-Auto) que se beneficiarem do estímulo tributário terão que participar das fases seguintes do programa, que são a inclusão de componentes nacionais e, por fim, a montagem dos automóveis no Brasil.

Os carros importados chegariam ao País com motor movido a gasolina e elétrico. Na segunda etapa, as montadoras teriam que converter o motor para flex e permitir o uso do etanol como combustível. A última fase prevê o início da produção no Brasil.

Demanda

A liberalização para importação dos carros híbridos visa a criar um novo nicho de mercado e garantir demanda por esse tipo de automóveis. Os estímulos tributários devem possibilitar o barateamento dos preços de carros híbridos importados e dos custos de produção local desses veículos. Esse seria o caminho para apressar a introdução em larga escala dos híbridos no Brasil.

A proposta em estudo no governo é um pouco diferente da apresentada pela Associação Nacional de Veículos Automotores (Anfavea). O setor pediu ao governo isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na importação dos carros híbridos, dentro das cotas, até 2017. A partir dessa data, só continuariam com a isenção do tributo as montadoras que começassem a nacionalizar a produção dos automóveis.

O governo fará um reunião com representantes da Anfavea nos próximos dias para apresentar as ideias discutidas pelos técnicos. Acredita-se que uma proposta final possa estar formatada até o final do mês, mas ainda dependerá de aprovação dos ministros e da presidente Dilma Rousseff. A implementação de uma política de estímulo ao carro híbrido no Brasil também tem o apoio da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única), desde que os automóveis sejam equipados com motores flex.

Últimas Notícias

Ver mais
Discovery Sport e Range Rover Evoque perdem botões e ganham painel multimídia maior
Casual

Discovery Sport e Range Rover Evoque perdem botões e ganham painel multimídia maior

Há 4 horas

Qual o preço da placa Mercosul? Saiba quando trocar
Guia do Cidadão

Qual o preço da placa Mercosul? Saiba quando trocar

Há 20 horas

Biden diz que irá investigar carros chineses sob suspeita de espionagem
Mundo

Biden diz que irá investigar carros chineses sob suspeita de espionagem

Há um dia

Malha fina: saiba o que é, onde consultar e como corrigir os erros
seloGuia de Investimentos

Malha fina: saiba o que é, onde consultar e como corrigir os erros

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais