Alckmin celebra leilão do Rodoanel e fala em "reforma de Estado"

O governador anunciou o leilão de concessão das linhas 5 e 17 do metrô no próximo dia 19
Alckmin: "Isso já estamos fazendo em São Paulo e acho que é necessário ao Brasil", disse (Germano Lüders | EXAME/Site Exame)
Alckmin: "Isso já estamos fazendo em São Paulo e acho que é necessário ao Brasil", disse (Germano Lüders | EXAME/Site Exame)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 10/01/2018 às 16:13.

São Paulo - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) comemorou nesta quarta-feira, 10, o resultado do leilão do Rodoanel Norte, cuja oferta vencedora ofereceu um ágio de quase 91% em relação ao valor mínimo, e defendeu uma "reforma de Estado", que já estaria acontecendo em São Paulo.

"Isso já estamos fazendo em São Paulo e acho que é necessário ao Brasil", disse o presidenciável tucano, que participou do leilão, realizado na sede da B3, no centro da capital paulista.

"Há mais que uma crise fiscal (no País), há uma bomba fiscal. Não tem mais como ter aquele Estado antigo, provedor de tudo. Sobra dinheiro no mundo, nós precisamos de bons projetos, segurança jurídica, boa regulação e fiscalização."

O governador anunciou o leilão de concessão das linhas 5 e 17 do metrô no próximo dia 19. Para os próximos meses, continuou, devem ser lançados ainda o Fundo imobiliário do Estado, o edital para os ônibus intermunicipais da Artesp e a privatização da Cesp.

Prazos

Alckmin disse que o trecho 1 do Rodoanel Norte deve ser entregue até julho, um atraso em relação à previsão inicial, de abril, mas que o trecho 2 tem previsão de entrega mantida para dezembro. "O Rodoanel Norte conclui a principal obra rodoviária do Brasil. Você vai interligar o maio aeroporto brasileiro, Cumbica, com o maior porto, em Santos", comemorou.

A EcoRodovias arrematou o trecho Norte do Rodoanel por R$ 883,0 milhões, um ágio de 90,97% em relação ao valor mínimo estipulado para a disputa, de R$ 462,367 milhões.