• AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
  • AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
Abra sua conta no BTG

ONU: Coreia do Norte usa hackers para driblar sanções e financiar programa nuclear

Segundo relatório da ONU, hackers ligados ao regime norte-coreano roubaram US$ 316 milhões de exchanges de criptoativos e instituições financeiras entre 2019 e 2020
 (Reuters/Kim Hong-Ji)
(Reuters/Kim Hong-Ji)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 09/02/2021 12:55 | Última atualização em 09/02/2021 12:57Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou relatório em que afirma que a Coreia do Norte promoveu uma série de ataques cibernéticos à corretoras de criptoativos e instituições financeiras para driblar as sanções da entidade e financiar seu programa de desenvolvimento armas nucleares.

No relatório enviado ao seu Conselho de Segurança, a ONU diz que, entre 2019 e 2020, hackers do país asiático roubaram mais de 316 milhões de dólares com essa finalidade.

O relatório afirma que foram investigadas atividades “maliciosas” do Reconnaissance General Bureau — a principal agência de inteligência da Coreia do Norte — incluindo alvos "como os ativos digitais e provedores de serviços de ativos digitais, e ataques a empresas de defesa”. Os valores obtidos com os ataques cibernéticos seriam lavados em mercados de balcão chineses com o objetivo de obter moedas fiduciárias como o dólar.

Os especialistas da ONU que analisaram o caso citaram também um único ataque, em setembro de 2020, que roubou 281 milhões de dólares em criptoativos. Apesar de não divulgarem detalhes, o caso pode se referir ao ataque de hackers contra a exchange asiática KuCoin, que aconteceu no mesmo período e que envolveu o roubo de valores semelhantes.

O programa de desenvolvimento de armas nucleares e de destruição em massa vem sofrendo sanções da ONU desde 2006, quando o país realizou o primeiro teste de uma arma nuclear. A decisão afetou as exportações norte-coreanas para a maioria dos países e também suas importações.

Apesar disso, segundo a ONU, o país tem utilizado formas de manter os programas ativos com estratégias como a importação clandestina de petróleo e o acesso às redes financeiras internacionais através de ataques cibernéticos.

Em agosto de 2019, a ONU afirmou que os hackers norte-coreanos obtiveram ilegalmente receitas estimadas "em até 2 bilhões de dólares” para financiar seus programas de armas.

Veja Também