Acompanhe:

Os cientistas descobriram água dentro de minúsculos grânulos de vidro espalhados pela Lua ao estudar o solo lunar trazido pela nave espacial chinesa Chang’e-5.

As revelações foram feitas em um estudo intitulado “Um reservatório de água solar derivado do vento na Lua, hospedado por contas de vidro de impacto”, publicado na revista Nature Geoscience na segunda-feira, 27.

Liderado pela Academia Chinesa de Ciências (CAS, na sigla em inglês), o estudo sugere que o “vidro de impacto em solo lunar é um excelente candidato a reservatório de água capaz de impulsionar o ciclo da água superficial lunar”.

Os grânulos de vidro são formados por minúsculos meteoritos que bombardeiam a superfície da Lua. O calor do impacto derrete o solo e as rochas na superfície lunar, que esfria em esferas de vidro redondas ao redor da largura de um fio de cabelo.

Análise dos cientistas

Os cientistas analisaram 117 grânulos de vidros que foram escavados pela nave espacial Chang’e-5 e selecionaram 32 contas homogêneas de vidro de impacto para uma análise mais detalhada. Eles encontraram um teor médio de água de 0,05% nas esferas de vidro, informou o Science and Technology Daily.

“Isso equivale a meio quilo de água dentro de 1 tonelada de contas de vidro de impacto, mais do que pensávamos anteriormente”, disse Hui Hejiu, coautor correspondente do estudo, ao Science and Technology Daily.

“A água nas esferas de vidro não é aquela no sentido usual, mas o hidrogênio presente ali, que pode ser convertido em água que podemos usar através de uma certa reação”, disse Hui Hejiu.

Assinatura indicadora do sol

Além de encontrar água nas esferas, os cientistas detectaram “uma assinatura indicadora do sol”, disse Mahesh Anand, um coautor do estudo, à AFP.

Investigando mais, eles determinaram que o hidrogênio necessário para compor a água estava vindo do vento solar, que varre as partículas carregadas através do sistema solar.

O oxigênio, o outro ingrediente da água, compõe quase metade da Lua, embora esteja preso em rochas e minerais.

Isto significa que o vento solar poderia estar contribuindo igualmente para a água em outros corpos do sistema solar sem atmosfera, como Mercúrio ou asteroides, disse Anand, acrescentando que só é necessário um calor suave de cerca de 100 graus Celsius para liberar a água dos grânulos.

A quantidade de água hospedada pelas contas de vidro de impacto em solos lunares pode chegar a 2,7 × 1014 kg, estima o estudo, “que poderia ser um reservatório de água para utilização in situ na futura exploração lunar”.


Tradução: Mei Zhen Li
Fonte: Diário do Povo

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Aeroporto chinês de Hangzhou abre rota de carga para Miami
Mundo

Aeroporto chinês de Hangzhou abre rota de carga para Miami

Há 11 horas

Yellen diz que a relação EUA-China está ‘mais estável’, mas que ainda há espaço para melhora
Economia

Yellen diz que a relação EUA-China está ‘mais estável’, mas que ainda há espaço para melhora

Há 13 horas

Importação e exportação de serviços da China chegam a 1,191 trilhão de yuans no 1º bimestre de 2024
Mundo

Importação e exportação de serviços da China chegam a 1,191 trilhão de yuans no 1º bimestre de 2024

Há 13 horas

China espera boom turístico durante feriado de Dia de Finados no país
Mundo

China espera boom turístico durante feriado de Dia de Finados no país

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais