Acompanhe:

Tomar café pode ajudar a combater a obesidade, diz estudo

Bebida pode estimular a gordura marrom

Modo escuro

Continua após a publicidade
Gordura corporal: café pode ser útil no combate a doenças, como obesidade (Julia_Sudnitskaya/Thinkstock)

Gordura corporal: café pode ser útil no combate a doenças, como obesidade (Julia_Sudnitskaya/Thinkstock)

M
Maria Eduarda Cury

Publicado em 6 de julho de 2019 às, 08h59.

Última atualização em 10 de dezembro de 2019 às, 11h56.

São Paulo - Uma xícara de café por dia pode auxiliar no combate à obesidade e diabetes. Cientistas da Universidade de Nottingham, Inglaterra, realizaram um estudo para encontrar componentes que estimulem a gordura marrom - que é capaz de queimar a gordura corporal produzida pelo organismo por meio da substância interleucina 10.

Os pesquisadores realizaram testes em humanos para descobrir quais elementos do corpo humano estimulam o tecido adiposo marrom a eliminar gorduras corporais com mais rapidez. O tecido adiposo - que tem como função principal manter o calor do corpo humano enquanto queima calorias - era inicialmente atribuído apenas a bebês e mamíferos. Nos últimos anos, a gordura marrom também foi descoberta em adultos.

O professor Michael Symonds, da Escola de Medicina da Universidade de Nottingham, um dos autores do estudo, relatou que o frio é um dos estimulantes do tecido adiposo marrom. "A gordura marrom funciona de maneira diferente de outras gorduras em seu corpo e produz calor queimando açúcar e gordura, muitas vezes em resposta ao frio", disse no estudo.

Para verificar se a cafeína é um dos estimulantes da gordura marrom, foi realizada uma série de estudos com células-tronco. Após descobrirem a dosagem certa para que a gordura marrom fosse estimulada, os testes começaram a ser feitos em seres humanos. A partir de uma técnica não invasiva de geração de imagens térmicas, a equipe conseguiu localizar onde havia uma maior concentração do tecido adiposo para avaliação.

A maior reserva de gordura marrom no corpo humano encontra-se na região do pescoço. Portanto, assim que alguém toma uma bebida, é possível observar se o tecido se torna mais quente ou não. Após a ingestão do café, os resultados foram positivos. No entanto, ainda é preciso verificar se é a própria cafeína que atua como estimulante ou se é outro ingrediente presente na bebida.

"Uma vez que tenhamos confirmado qual componente é responsável por isso, ele poderia ser usado como parte de um regime de controle de peso ou como parte do programa de regulação da glicose para ajudar a prevenir a diabetes", disse Symonds. Portanto, o assunto ainda não está encerrado e requer mais pesquisas para validar os indícios encontrados no estudo da Universidade de Nottingham. 

Últimas Notícias

Ver mais
Telescópio James Webb pode ter descoberto mistério de supernova de 1987
Ciência

Telescópio James Webb pode ter descoberto mistério de supernova de 1987

Há 20 horas

Qual é a origem da Lua? Agência espacial do Japão diz ter pistas
Ciência

Qual é a origem da Lua? Agência espacial do Japão diz ter pistas

Há um dia

Empresa dos EUA consegue levar sonda à superfície da Lua após 52 anos
Ciência

Empresa dos EUA consegue levar sonda à superfície da Lua após 52 anos

Há um dia

12 anos da missão Juno: veja imagens impressionantes de Júpiter capturadas pela Nasa
Ciência

12 anos da missão Juno: veja imagens impressionantes de Júpiter capturadas pela Nasa

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais