Acompanhe:

Relatório confidencial de agência dos EUA revela nova teoria sobre origem da covid-19

A afirmação - que consta de um relatório considerado confidencial por Avril Haines, diretora nacional de inteligência - representa uma mudança de postura do Departamento de Energia, que antes se mostrava indeciso sobre a origem do vírus

Modo escuro

Continua após a publicidade
Covid-19: A comunidade científica considera crucial determinar as origens da pandemia para combater e inclusive evitar a próxima (AFP/AFP)

Covid-19: A comunidade científica considera crucial determinar as origens da pandemia para combater e inclusive evitar a próxima (AFP/AFP)

O Departamento de Energia dos Estados Unidos acredita que a pandemia de coronavírus provavelmente surgiu após um vazamento em um laboratório chinês, mas a Casa Branca afirmou no domingo que o serviço de inteligência americano está dividido sobre o tema.

A afirmação - que consta de um relatório considerado confidencial por Avril Haines, diretora nacional de inteligência - representa uma mudança de postura do Departamento de Energia, que antes se mostrava indeciso sobre a origem do vírus.

Pessoas que tiveram acesso ao relatório confidencial, citadas pelos jornais Wall Street Journal e New York Times, afirmam que o departamento fez o julgamento com "baixa confiança", ressaltando como as diferentes agências americanas permanecem divididas sobre as origens da covid-19, a pandemia que abalou o mundo no início de 2020.

A conclusão, supostamente resultado de novas informações de inteligência, é significativa porque este departamento supervisiona uma rede de laboratório, incluindo alguns que fazem pesquisas biológicas avançadas.

Desta maneira, o Departamento de Energia se une ao FBI ao acreditar que a pandemia, que provocou quase sete milhões de mortes no mundo, foi resultado de um acidente em um laboratório na China.

Quatro agências de inteligência americanas acreditam que a covid surgiu por transmissão natural, enquanto outras duas permanecem indecisas, segundo o Wall Street Journal.

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, enfatizou que "vários pontos de vista" persistem sobre o tema. "No momento não há uma resposta definitiva que tenha surgido da comunidade de inteligência sobre esta questão", declarou ao canal CNN no domingo.

A China rejeitou de maneira veemente a hipótese do Departamento de Energia dos Estados Unidos e pediu aos envolvidos que "parem de difamar a China e parem de politizar a questão do rastreamento de origem".

"Um vazamento de laboratório não foi considerado possível por conclusões científicas autorizadas apresentadas por uma equipe de especialistas da China e da OMS", disse o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Mao Ning.

Há algumas semanas, a Organização Mundial da Saúde prometeu fazer todo o possível "até encontrar uma resposta" sobre a origem da covid, ao mesmo tempo que negou as informações que sugeriam que a OMS havia abandonado a investigação. A comunidade científica considera crucial determinar as origens da pandemia para combater e inclusive evitar a próxima.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Empresa privada americana tentará pousar na Lua nesta quinta-feira
Ciência

Empresa privada americana tentará pousar na Lua nesta quinta-feira

Há 14 horas

Astrônomos descobrem buraco negro que engole um Sol por dia e é 500 trilhões de vezes mais brilhante
Ciência

Astrônomos descobrem buraco negro que engole um Sol por dia e é 500 trilhões de vezes mais brilhante

Há 17 horas

Terapia contra câncer aprovada nos EUA usa célula do corpo como "droga viva"
Ciência

Terapia contra câncer aprovada nos EUA usa célula do corpo como "droga viva"

Há 20 horas

Empresa privada mostra primeiras imagens transmitidas por sonda que irá pousar na Lua
Ciência

Empresa privada mostra primeiras imagens transmitidas por sonda que irá pousar na Lua

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais