Acompanhe:

O que é o 'casaco invisível' que confunde câmeras do governo chinês

O InvisDefense, como foi batizado pela equipe por trás do projeto, é "discreto" e de baixo custo; é o primeiro produto que pode evitar detecção de pedestres em público

Modo escuro

Continua após a publicidade
'Casaco invisível': foto divulgada pela equipe mostra diferença entre pessoa sem (esquerda) e com (direita) o casaco (Wei Hui/South China Morning Post/Reprodução)

'Casaco invisível': foto divulgada pela equipe mostra diferença entre pessoa sem (esquerda) e com (direita) o casaco (Wei Hui/South China Morning Post/Reprodução)

L
Laura Pancini

Publicado em 6 de dezembro de 2022 às, 10h26.

Um grupo de estudantes de pós-graduação na China afirma ter criado um 'casaco invisível' que esconde o corpo humano de câmeras de segurança monitoradas por inteligência artificial (IA).

O InvisDefense, como foi batizado pela equipe, é descrito como discreto e de baixo custo. O custo do conjunto completo é inferior a US$ 70, cerca de R$ 360, afirmam os alunos.

A vestimenta pode ser vista a olho nu, mas consegue cegar câmeras durante o dia. À noite, envia sinais de calor que confundem o aparelho de vigilância.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

“Atualmente, muitos dispositivos de vigilância podem detectar corpos humanos. As câmeras na estrada têm funções de detecção de pedestres e os carros inteligentes podem identificar pedestres, estradas e obstáculos. Nosso InvisDefense permite que a câmera capture você, mas não pode dizer se você é humano”, explica o professor que supervisionou o estudo.

O artigo feito pelos alunos da Universidade de Wuhan rendeu primeiro lugar em um concurso patrocinado pela Huawei. O texto também foi aceito por uma das principais conferências acadêmics de IA, a AAAI 2023.

Como as câmeras não detectam o casaco?

Segundo o South China Morning Post, as câmeras conseguem detectar corpos humanos durante o dia ao identificar movimento ou o contorno do corpo.

Para cegá-las, o InvisDefense é coberto por um padrão de camuflagem que interfere no algoritmo de reconhecimento da máquina. Assim, a câmera fica impossibilitada de identificar a pessoa.

À noite, a identificação ocorre por meio de imagens térmicas infravermelhas. Com módulos que controlam a temperatura na área interna, o casaco cria um padrão de temperatura "incomum" e confunde a câmera infravermelha.

“Este é o primeiro produto do setor que pode evitar a detecção de pedestres em público e não levantar suspeitas dos olhos humanos. Por meio de testes no campus, a precisão da detecção de pedestres pode ser reduzida em 57% – esse número pode ser ainda maior no futuro", descreve o professor.

De acordo com ele, os pesquisadores podem usar do algoritmo por trás do 'casaco invisível' para melhorar as tecnologias de reconhecimento facial. “O InvisDefense também pode ser usado em combate anti-drone ou confronto homem-máquina no campo de batalha.”

LEIA TAMBÉM:

Últimas Notícias

Ver mais
Lula: Brasil pode ter indústria da saúde para competir com qualquer outro país do mundo
Brasil

Lula: Brasil pode ter indústria da saúde para competir com qualquer outro país do mundo

Há 11 horas

Lula diz que governo brasileiro prepara regulamentação de inteligência artificial
Inteligência Artificial

Lula diz que governo brasileiro prepara regulamentação de inteligência artificial

Há 13 horas

O bilionário do molho de soja: o chinês que comanda um negócio de US$ 3,8 bi criado no século 17
seloNegócios

O bilionário do molho de soja: o chinês que comanda um negócio de US$ 3,8 bi criado no século 17

Há 17 horas

Vale a pena sermos educados com ferramentas de inteligência artificial?
Inteligência Artificial

Vale a pena sermos educados com ferramentas de inteligência artificial?

Há 22 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais