Acompanhe:

Nuvens transportam bactérias resistentes a antibióticos, revela estudo

Autoridades sanitárias já alertaram que estas adaptações estão se tornando o que o estudo descreveu como "grande preocupação sanitária em nível mundial"

Modo escuro

Continua após a publicidade
Céu: nuvens escuras no horizonte são potencialmente ameaçadoras, e não porque sinalizam a chegada de uma tempestade (Marco Antônio da Costa / Redes Sociais/Reprodução)

Céu: nuvens escuras no horizonte são potencialmente ameaçadoras, e não porque sinalizam a chegada de uma tempestade (Marco Antônio da Costa / Redes Sociais/Reprodução)

Para uma equipe de pesquisadores canadenses e franceses, as nuvens escuras no horizonte são potencialmente ameaçadoras, e não porque sinalizam a chegada de uma tempestade. Um estudo revela que elas transportam por longas distâncias bactérias resistentes a medicamentos.

"Essas bactérias costumam viver na superfície da vegetação, como em folhas, ou no solo", explicou Florent Rossi, principal autor do estudo, em entrevista à AFP nesta sexta-feira (28). "Descobrimos que elas são transportadas pelo vento para a atmosfera e podem viajar por longas distâncias ao redor do mundo, em grandes altitudes, nas nuvens."

A descoberta foi publicada na edição do mês passado da revista "Science of The Total Environment". Pesquisadores da Universidade canadense Laval e da Universidade francesa Clermont Auvergne buscaram genes resistentes a antibióticos em bactérias encontradas em amostras de nuvens coletadas em uma estação de pesquisa atmosférica localizada 1.465 m acima do nível do mar, no topo do vulcão inativo francês Puy-de-Dôme, entre setembro de 2019 e outubro de 2021.

Uma análise da névoa recuperada revelou que a mesma continha entre 330 e mais de 30.000 bactérias por mililitro de água de nuvem, com uma média de cerca de 8.000 bactérias por mililitro.

Resistência

Também foram identificados 29 subtipos de genes resistentes a antibióticos nas bactérias. A resistência ocorre quando a bactéria é exposta a antibióticos e desenvolve imunidade aos mesmos ao longo de gerações.

Autoridades sanitárias já alertaram que estas adaptações estão se tornando o que o estudo descreveu como "grande preocupação sanitária em nível mundial", o que dificulta e, por vezes, impossibilita o tratamento de algumas infecções bacterianas, uma vez que o uso de antibióticos segue aumentando na saúde e agricultura.

O estudo não tira conclusões sobre os possíveis efeitos à saúde da disseminação de bactérias resistentes a antibióticos, pois estima que apenas 50% destes organismos poderiam estar vivos e potencialmente ativos.

Rossi sugeriu que os riscos devem ser baixos. "A atmosfera é muito estressante para as bactérias, e a maioria das que encontramos eram bactérias ambientais", que têm menos chances de serem nocivas ao homem, explicou. "As pessoas não precisam ter medo de sair na chuva. Não está claro se esses genes seriam passados para outras bactérias."

O monitoramento atmosférico, no entanto, poderia ajudar a localizar as fontes das bactérias resistentes aos fármacos, de forma semelhante aos testes de águas residuais para a Covid-19 e outros patógenos, "a fim de limitar a sua propagação", ressaltou Rossi.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
O que é duna estelar? Cientistas revelam mistério no deserto do Saara
Ciência

O que é duna estelar? Cientistas revelam mistério no deserto do Saara

Há uma semana

Vieses de gênero são amplificados em imagens online, diz estudo
ESG

Vieses de gênero são amplificados em imagens online, diz estudo

Há 2 meses

Como a divulgação científica brasileira evoluiu com o passar dos anos
ESG

Como a divulgação científica brasileira evoluiu com o passar dos anos

Há 3 meses

Corte de R$ 116 milhões no orçamento da Capes preocupa setor científico
Brasil

Corte de R$ 116 milhões no orçamento da Capes preocupa setor científico

Há 6 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais