Ciência

J&J está otimista com análise de reguladores dos EUA sobre sua vacina

Imunização com vacinas da fabricante foi suspensa na semana passada no país após casos raros de coágulos

Mulher recebe dose da J&J em Chicago: casos de trombose são raros (Carlos Barria/Reuters)

Mulher recebe dose da J&J em Chicago: casos de trombose são raros (Carlos Barria/Reuters)

TL

Thiago Lavado

Publicado em 22 de abril de 2021 às 09h09.

Última atualização em 22 de abril de 2021 às 23h11.

A Johnson & Johnson indicou que a incerteza em relação à sua vacina contra a Covid-19 pode diminuir nos próximos dias com a análise de reguladores sobre o risco de casos raros de trombose e inspeção de uma fábrica fundamental para que a farmacêutica atinja as metas de produção.

Os EUA suspenderam o uso do imunizante da J&J na semana passada, depois que seis mulheres vacinadas desenvolveram casos graves e raros de trombose no cérebro. Um painel de especialistas médicos que analisam os dados sobre os coágulos deve votar na sexta-feira se o uso da vacina será retomado. Nenhum outro caso de trombose foi confirmado desde o início da pausa, de acordo com Jason McDonald, porta-voz do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

“Nos próximos dias, teremos um caminho muito sólido à frente e faremos tudo o que pudermos para garantir que seja um resultado positivo”, disse o diretor financeiro da J&J, Joseph Wolk, em entrevista.

O comitê de segurança da Agência Europeia de Medicamentos alertou na terça-feira que há uma associação entre os casos raros de trombose e a vacina, mas disse que os benefícios potenciais superam qualquer risco. A decisão abre caminho para que países da União Europeia decidam se restringem o acesso à vacina para grupos de pacientes. O comitê recomendou que um alerta seja incluído nas informações do produto.

Até 15 de abril, cerca de 7,7 milhões de pessoas nos Estados Unidos haviam recebido a vacina da J&J. A empresa disse na terça-feira que o imunizante gerou US$ 100 milhões em vendas no primeiro trimestre.

Embora o imunizante da J&J tenha sido considerado como fundamental para o programa de imunização dos EUA anteriormente, o governo Biden espera que outras vacinas atualmente disponíveis compensem qualquer déficit causado pela pausa. Na Europa, onde a campanha de imunização tem sido mais lenta, o acesso à vacina da J&J poderia ajudar a imunizar mais residentes e controlar a propagação de variantes que contribuíram para o aumento dos casos de Covid.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Johnson & Johnson

Mais de Ciência

Colisão de asteroides é flagrada pelo telescópio James Webb

Componente de protetores solarares encontrado em alimentos gera preocupação nos EUA

Nova promessa de tratamento para Alzheimer avança nos EUA. Como o medicamento funciona?

Por que uma dieta baseada em vegetais nem sempre é saudável?

Mais na Exame