• AALR3 R$ 19,60 -1.01
  • AAPL34 R$ 74,36 1.72
  • ABCB4 R$ 16,43 1.36
  • ABEV3 R$ 14,53 0.35
  • AERI3 R$ 3,81 -1.04
  • AESB3 R$ 10,67 -1.11
  • AGRO3 R$ 32,37 2.76
  • ALPA4 R$ 21,90 -0.82
  • ALSO3 R$ 19,62 0.26
  • ALUP11 R$ 26,19 0.42
  • AMAR3 R$ 2,23 3.24
  • AMBP3 R$ 29,72 4.54
  • AMER3 R$ 23,04 1.63
  • AMZO34 R$ 72,52 3.90
  • ANIM3 R$ 5,38 7.60
  • ARZZ3 R$ 82,03 2.08
  • ASAI3 R$ 15,52 1.84
  • AZUL4 R$ 20,75 11.02
  • B3SA3 R$ 11,44 -3.87
  • BBAS3 R$ 35,10 -0.17
Abra sua conta no BTG

Estudo aponta que 99,75% de hospitalizados com covid-19 não tomaram vacina

Estudo americano afirma que imensa maioria das internações aconteceram em quem não havia tomado vacina ou a segunda dose
Vacina da Pfizer: imunizante de RNA mensageiro é muito eficaz para prevenir internações e infecções (AFP/AFP)
Vacina da Pfizer: imunizante de RNA mensageiro é muito eficaz para prevenir internações e infecções (AFP/AFP)
Por Thiago LavadoPublicado em 11/05/2021 16:03 | Última atualização em 11/05/2021 16:03Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um estudo feito nos Estados Unidos pela Cleveland Clinic, um centro médico de pesquisas acadêmicas, apontou que 99,75% das pessoas que foram internadas com covid-19 não estavam completamente imunizadas.

De acordo com os dados, enviados ao portal Axios, a imensa maioria das internações aconteceram em pessoas que não tomaram a vacina ou tomaram apenas uma dose.

A amostra do estudo é de 47.000 pessoas, empregados da Cleveland Clinic, que receberam uma dose, as duas doses da vacina, ou nenhuma delas. O estudo também apontou que as vacinas de RNA Mensageiro, desenvolvidas pelos laboratórios Pfizer e Moderna, foram eficazes em mais de 96% em proteger contra a covid-19.

Os Estados Unidos são o país do mundo com mais doses aplicadas, e a vacinação já foi aberta a adultos jovens, acima de 18 anos. Mas estima-se que cerca de 120 milhões de pessoas nos EUA ainda não tomaram nenhuma dose. E esse número pode não seguir caindo na velocidade desejada pelo governo.

Dados da eficácia são importantes no país justamente para ajudar no argumento em prol da vacinação, necessária para que as taxas de infecção caiam.