Ciência

Covid-19 e gripe: vacina combinada da Moderna mostra alta eficácia

Imunizante que mistura proteção contra Covid-19 e gripe mostrou eficácia altíssima

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 10 de junho de 2024 às 11h25.

Última atualização em 11 de junho de 2024 às 11h26.

A Moderna anunciou que sua vacina combinada contra Covid-19 e gripe mostrou ser mais eficaz do que as vacinas existentes em um estudo de fase final. A empresa de biotecnologia é a primeira a divulgar dados positivos de fase três sobre uma vacina combinada, dando-lhe uma possível vantagem sobre concorrentes como Pfizer e Novavax. A Moderna planeja solicitar aprovação regulatória para sua vacina combinada nos EUA neste verão e espera entrar no mercado em 2025, disse o CEO da empresa, Stephane Bancel. As informações são da CNBC.

A combinação de vacinas simplificará a proteção contra vírus respiratórios, especialmente em um momento em que menos americanos estão se vacinando contra a Covid. A conveniência adicional é crucial para aliviar a carga sobre farmacêuticos e o sistema de saúde dos EUA, que enfrenta uma escassez de mão de obra.

A vacina de RNA mensageiro da Moderna, chamada mRNA-1083, inclui tanto a vacina candidata da empresa para a gripe sazonal quanto uma versão "de próxima geração" de sua vacina contra Covid. Ambas as vacinas experimentais - mRNA-1010 e mRNA-1283 - mostraram resultados positivos em ensaios de fase três separados.

Teste em 8 mil pacientes

O ensaio em estágio final em andamento da mRNA-1083 avaliou a vacina combinada em 8.000 pacientes. O estudo comparou a vacina combinada com a vacina aprimorada contra a gripe chamada Fluzone HD e a vacina contra Covid atualmente licenciada da Moderna, Spikevax, em um grupo de pacientes com 65 anos ou mais. Também comparou a vacina combinada da Moderna com uma vacina padrão contra a gripe chamada Fluarix e Spikevax em outro grupo de participantes entre 50 e 64 anos.

Em ambos os grupos etários, uma única dose da vacina combinada da Moderna produziu respostas imunológicas “estatisticamente significativamente maiores” contra três cepas de influenza e a variante ômicron da Covid, XBB.1.5.

A Moderna afirmou que a segurança da vacina combinada, juntamente com a tolerância dos pacientes, foi aceitável. Os efeitos colaterais mais comuns foram dor no local da injeção, fadiga, dor muscular e dor de cabeça, sendo a maioria dos efeitos leves a moderados.

Além disso, a Moderna está desenvolvendo uma vacina combinada contra a gripe e RSV, e outra que visa os três vírus respiratórios: Covid, gripe e RSV. Enquanto isso, Pfizer e BioNTech também estão estudando uma vacina que visa Covid e gripe em um ensaio de fase final. A Novavax está desenvolvendo uma combinação para esses vírus, mas sua vacina contra Covid utiliza tecnologia baseada em proteínas.

Acompanhe tudo sobre:ModernaCoronavírusVacinasvacina contra coronavírusEstados Unidos (EUA)

Mais de Ciência

Por que uma dieta baseada em vegetais nem sempre é saudável?

Virgin Galactic faz último voo espacial antes de um hiato de dois anos

Gel pode virar tratamento contraceptivo para homens

Beber álcool antes de dormir no avião traz risco para a saúde, revela estudo

Mais na Exame