Cientistas descobrem a árvore tropical mais alta do mundo (e já ameaçada)

Medindo 100,8 metros de altura, o equivalente a um prédio de 30 andares, a árvore recebeu o nome de Menara, que significa "torre" em malaio

São Paulo – Cientistas do Reino Unido e da Malásia descobriram a árvore tropical mais alta do mundo. Medindo 100,8 metros de altura, o equivalente a um prédio de 30 andares, ela foi batizada de “Menara”, que significa “torre” em malaio. 

Encontrada nas florestas tropicais de Sabah, na Malásia, a gigante é uma Shorea faguetiana (chamada popularmente de meranti amarelo), que domina as florestas úmidas do Sudeste Asiático.

Excluindo as raízes, a Menara pesa 81.500 quilos, ou mais que o peso máximo de decolagem de um Boeing 737-800. Apenas 5% de sua massa concentra-se na copa de 40 metros de largura, enquanto os 95% restantes estão em seu tronco.

Considerando todo o reino vegetal, as árvores mais altas já descritas são as sequoias da Califórnia, que já chegaram a atingir 115,7 metros. 

Os pesquisadores descobriram a gigante Menara no em agosto de 2018 durante uma exploração para entender melhor como as árvores crescem tão alto e o que as impede de crescer ainda mais. Eles realizaram uma varredura  tridimensional nas florestas com a tecnologia Lidar (abreviação, em inglês, de “detecção e alcance da luz”), usada para mapear digitalmente a cobertura florestal. 

Com ajuda de imagens de drones, eles produziram ​​visualizações 3D da árvore, antes de partir para a parte mais empolgante e arriscada da exploração: alguém deveria escalar a árvore para medi-la. 

A tarefa ficou a cargo do alpinista local, Unding Jami, que escalou a árvore em janeiro de 2019 para medir sua altura com uma fita métrica.

“Foi uma subida assustadora, ventava muito em todo o percurso, porque as árvores ao redor são muito distantes. Mas honestamente a visão a partir do topo foi incrível. Eu não sei o que dizer, além de que foi muito, muito, muito incrível!”, disse

As árvores tropicais que quebraram recordes anteriores são todas, até o momento, da mesma espécie, o  meranti amarelo.

Por ter sido explorada implacavelmente durante décadas pela indústria madeireira, a espécie se encontra altamente ameaçada de extinção.

Quando uma árvore dessa magnitude desaparece, ela leva consigo todo um mini universo de biodiversidade, já que ela chega a hospedar mais de 1.000 insetos, fungos e outras espécies de plantas por todo sua estrutura. 

O Governo de Sabah, na Malásia, onde a árvore foi encontrada, se comprometeu a aumentar a extensão das florestas protegidas para 30% da área terrestre do Estado até 2025, uma investida que pode ajudar a  garantir o futuro desses gigantes. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.