R$ 7 bi em alimentos no lixo: ONG cria “empresa” que evidencia o problema

Inventada pela Gastromotiva, companhia Wast.age S/A alerta para o fato de que os brasileiros desperdiçam 26,3 milhões de toneladas de comida todos os anos

Como missão de vida, o curitibano David Hertz escolheu transformar a gastronomia em um movimento social. Nascido em uma família judaica, de comerciantes, formou-se em gastronomia pelo Senac de Águas de São Pedro e passou a dar aulas em uma favela em São Paulo em 2004.

Ganha pouco, mas gostaria de começar a guardar dinheiro e investir? Aprenda com a EXAME Academy

Foi quando começou a engajar-se com a gastronomia social. Dois anos depois fundou a ONG Gastromotiva, que batalha contra o desperdício de alimentos e a obesidade e já capacitou em cozinha 5.900 jovens de baixa renda. Ela também ofereceu educação nutricional a mais de 100 mil pessoas e calcula ter evitado o desperdício de 128 toneladas de comida, transformadas em mais de 190 mil refeições.

Em 2016, aproveitando os holofotes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Hertz montou na cidade, em parceria com o chef italiano Massimo Bottura e a jornalista Alexandra Forbes, o Reffetorio Gastromotiva. Situado na Lapa, o restaurante é destinado à população de baixa renda e alimenta, em média, noventa pessoas em situação de rua por dia.

A iniciativa mais recente de Hertz ganhou o nome de Wast.age S/A. Trata-se de uma companhia fictícia que lucraria com o desperdício de alimentos no Brasil. Mais exatamente 7 bilhões de reais por ano. É a soma, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), de tudo que os estabelecimentos do tipo jogaram no lixo em 2019. Outro dado alarmante: os brasileiros desperdiçam 26,3 milhões de toneladas de alimentos todos os anos.

Não é preciso pensar muito para vislumbrar o tamanho do problema e concluir que muita gente poderia ser alimentada com o que atiramos no lixo – veja, abaixo, o vídeo da campanha criada pela agência CP+B Brasil para apresentar a Wasta.ge S/A e o apelo da Gastromotiva, que pede a ajuda de todos. A empresa chegou a participar do programa Shark Tank Brasil, em outra ação de conscientização – o CEO da “startup” é interpretado pelo ator Ivan Arcuschin.

 

“O combate ao desperdício de alimentos será sempre uma das nossas principais missões”, afirma Hertz. “Por meio da campanha queremos alertar para esses números e trazer mais pessoas para junto desta causa com a Gastromotiva. Precisamos mostrar que é possível transformar a vida de milhares de pessoas por meio da gastronomia e a comida”.

Com a pandemia no horizonte, a ONG tirou do forno o projeto Cozinhas Solidárias, por meio do qual empregou 50 cozinheiros e distribuiu mais de 380 mil refeições entre populações desassistidas. Já o Refettorio Gastromotiva foi transformado em um centro de doações que amealhou 167 mil toneladas de alimentos, transformados em mais de 279 mil refeições. Saiba mais em gastromotiva.org.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.