Acompanhe:

Insônia pode ser uma das causas da diabetes

Portador da doença também precisa se preocupar com o que acontece nas suas noites

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Quem sofre de insônia ou acorda muito durante a noite por qualquer distúrbio do sono tende a ficar mais estressado e ter alterações no humor
 (Getty Images/Reprodução)

Quem sofre de insônia ou acorda muito durante a noite por qualquer distúrbio do sono tende a ficar mais estressado e ter alterações no humor (Getty Images/Reprodução)

D
Da Redação

Publicado em 12 de novembro de 2012 às, 18h08.

São Paulo - Dentre as muitas doenças que podem ser desenvolvidas ou adquiridas em decorrência da insônia, a diabetes é uma das mais caracterizadas. Por isso, o portador da doença precisa se preocupar com o que acontece nas suas noites. Dormir pouco é ruim em muitos aspectos e ainda pode complicar consideravelmente os sintomas de diabetes.

A diabetes é caracterizada pelo aumento anormal do açúcar no sangue. Fonte de energia para o corpo, a glicose é boa na quantidade correta, mas traz problemas quando está em excesso. A diabetes pode levar a infartos, derrames cerebrais e insuficiências renais, entre outros problemas.

E o que tudo isso tem a ver com o sono? Pessoas que dormem menos têm maior quantidade de glicose no sangue. Além disso, o nível do hormônio insulina, que é responsável pela redução da taxa de glicemia, fica abaixo do normal. Carolina Carmona de Oliveira, fisioterapeuta da Duoflex, com especialização em Saúde do Sono, confirma que "a privação do sono promove aumento de estresse e isso leva à resistência da ação da insulina e aumento da glicose".

Ou seja, a pessoa que dorme pouco não apenas aumenta a glicemia do sangue como também diminui o efeito do hormônio responsável em equilibrar essa característica dentro dos vasos sanguíneos. Tudo isso ocorre por conta do estresse que envolve o fato de dormir mal.

Quem sofre de insônia ou acorda muito durante a noite por qualquer distúrbio do sono tende a ficar mais estressado e ter alterações no humor, principalmente no dia da ocorrência do problema. Esse nervosismo diminui a ação da insulina e, somado ao fato do aumento da glicose, pode levar a maiores complicações.

A fisioterapeuta explica ainda que o tratamento para a insônia depende da causa e da gravidade da doença. Para os casos mais simples, pequenas mudanças comportamentais podem ajudar a alterar esse quadro, como a eliminação do consumo de álcool e tranquilizantes, a prática regular de alguma atividade física, a redução ou a suspensão completa do fumo, além da correção da postura durante sono. Essa última medida deve ser obtida aliada ao uso do travesseiro em altura e suporte apropriados para o seu tipo físico.

Últimas Notícias

Ver mais
Startup de saúde se une a ONG para usar sua tecnologia em mutirão no Paraná
Um conteúdo Bússola

Startup de saúde se une a ONG para usar sua tecnologia em mutirão no Paraná

Há um dia

Casos de coqueluche se multiplicam na China e acendem alerta para epidemia
Mundo

Casos de coqueluche se multiplicam na China e acendem alerta para epidemia

Há 2 dias

Cidade de SP amplia a vacinação contra a dengue; veja quem pode tomar e o que é preciso levar
Brasil

Cidade de SP amplia a vacinação contra a dengue; veja quem pode tomar e o que é preciso levar

Há 2 dias

Dengue: Brasil bate recorde histórico de mortes pela doença
Brasil

Dengue: Brasil bate recorde histórico de mortes pela doença

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais