Deu calor? Conheça o site que virou o Airbnb das piscinas

Na França, plataforma Swimmy conecta proprietários a locatários, que alugam a piscina por um turno ou por um dia
 (jacoblund/Thinkstock)
(jacoblund/Thinkstock)
J
Júlia Lewgoy

Publicado em 25/08/2018 às 07:00.

Última atualização em 25/08/2018 às 07:00.

São Paulo - Um site tem feito sucesso na França entre calorentos que querem dar um mergulho, mas não têm dinheiro para ter e manter uma piscina em casa. Apelidado de “Airbnb das piscinas”, o Swimmy conecta proprietários de casas com piscinas a clientes que querem se refrescar por um turno ou por um dia.   

Diferente do Airbnb, a proposta do Swimmy é que o usuário alugue uma piscina perto de casa, para nadar por algumas horas com família ou amigos. Há piscinas nas redondezas de Paris, Lyon e Marselha.

O locatário pode alugar a piscina de casas particulares, escolas de natação ou hotéis. Também pode decidir se quer piscina aquecida, jardim ou espreguiçadeiras, por exemplo.

O cliente escolhe, ainda, para quantas pessoas quer a piscina e se os proprietários estarão presentes na casa no momento da locação. Pela plataforma, é possível trocar mensagens com o proprietário.

O aluguel da piscina custa entre 12 e 60 euros (entre 57 e 285 reais) por pessoa, para o período alugado.

Os proprietários ganham entre 800 e 1300 euros (3.800 a 6.175 reais) por mês, em média. O site cobra dos locadores uma taxa de 10% sobre o valor do aluguel.

Fundada em julho de 2016, a plataforma tem 16 mil usuários cadastrados e 500 piscinas disponíveis para aluguel. A startup planeja fechar agosto com faturamento recorde de 150 mil euros (712 mil reais).