Carreira

Trabalhar 7 dias consecutivos é contra a lei?

Descanso semanal é obrigatório ou é possível negociar? Veja a resposta da advogada Sônia Mascaro

Profissional cansada: ter um dia folga na semana é direito garantido por lei (Thinkstock/Divulgação)

Profissional cansada: ter um dia folga na semana é direito garantido por lei (Thinkstock/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 12 de novembro de 2015 às 11h01.

*Resposta de Sônia Mascaro Nascimento, sócia do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista e diretora do Núcleo Mascaro

A legislação trabalhista brasileira assegura diversas formas de descanso para o trabalhador. Entre outras, um período de intervalo mínimo entre duas jornadas de trabalho, férias e descanso semanal remunerado - um dia de folga na semana, sem prejuízo da remuneração.

O dia de folga deverá ser preferencialmente aos domingos. Em alguns casos, a lei autoriza que seja concedido em outro dia da semana. Por exemplo, diante da necessidade do serviço aos domingos, quando houver prévia autorização do Ministério do Trabalho e Emprego.

Contudo, sempre será obrigatório que haja uma folga na semana. Se o colaborador trabalhar no domingo, ele deverá folgar em outro dia. Assim, se ele trabalhar sete dias consecutivos terá ocorrido infração à legislação trabalhista e o empregador deverá pagar o dia de folga trabalhado em dobro. Esse entendimento, inclusive, já está consolidado na Orientação Jurisprudencial n. 410 da SDI-1 do TST.

Essa medida é justificada pelo fato do descanso periódico ser fundamental para a saúde física e mental do trabalhador. A folga não pode ser suprimida nem mesmo por convenção coletiva de trabalho, pois se trata de direito que não pode ser negociado ou renunciado pelo colaborador.

Acompanhe tudo sobre:LegislaçãoLeis trabalhistas

Mais de Carreira

Quem tem mais de 40 anos está ocupando o lugar da Gen Z no trabalho. Para onde vão os mais jovens?

CNU: Enem dos Concursos será dia 18 de agosto, veja dicas de como se preparar nesta reta final

“Segue anexo” ou “Segue em anexo”: qual é a forma correta para usar no e-mail?

O que recebo se eu pedir demissão? Conheça seus direitos e os cálculos rescisórios

Mais na Exame