Carreira

Ser workaholic está fora de moda? Da geração Z ao executivo sênior, trabalhadores preferem bem-estar

Estudo mostra que número de trabalhadores que colocam a carreira à frente da vida pessoal está diminuindo; hoje, 56% dos profissionais afirmam que qualidade de vida é a prioridade número um

Estudo mostra que, para 56% dos entrevistados, qualidade de vida é a prioridade número um (Freepik)

Estudo mostra que, para 56% dos entrevistados, qualidade de vida é a prioridade número um (Freepik)

Guilherme Santiago
Guilherme Santiago

Content Writer

Publicado em 22 de abril de 2024 às 05h00.

Por muito tempo, não conseguir se desconectar do trabalho e estar sempre ocupado com tarefas foi glorificado como sinônimo de dedicação profissional – mesmo que isso ocasionasse em estresse, esgotamento e problemas de saúde. 

Mas as percepções estão mudando. Da geração Z ao executivo sênior, a tendência agora é priorizar o bem-estar e a felicidade no trabalho. E um estudo recente comprovou isso.

Capacite-se em ESG: treinamento virtual ensina o que há de mais relevante no mercado de sustentabilidade – e mostra o caminho para conquistar uma vaga na área

Segundo a pesquisa Carreira dos Sonhos, da Cia de Talentos, houve uma mudança de prioridade entre os profissionais. Em 2016, 67% dos trabalhadores diziam que ter ascensão na carreira era o aspecto mais importante de suas vidas.

Mas, na versão mais recente do estudo, de 2023, esse número despencou: apenas 10% priorizam trabalho e carreira.

'Não se trata de uma perspectiva exclusiva da geração mais jovem', diz estudo

Além de mostrar que poucos trabalhadores colocam a carreira à frente da vida pessoal, o estudo revela que, para 56% dos entrevistados, qualidade de vida é a prioridade número um.

“Não se trata de uma perspectiva exclusiva da geração mais jovem. Qualidade de vida, relacionamento familiar e segurança financeira são as principais prioridades para todos os grupos demográficos. Isso refuta a ideia de que apenas as pessoas mais jovens buscam uma vida equilibrada e significativa”, diz o relatório elaborado pela Cia de Talentos.

"A compreensão dessas tendências não só influenciará as decisões empresariais, mas também moldará o cenário futuro das relações de trabalho", alerta a pesquisa.

Chega de caçar emprego: este treinamento mostra como se qualificar em ESG  e sustentabilidade para se tornar alvo dos recrutadores em diferentes setores

Geração Z Millennials

Felicidade no trabalho não é prioridade apenas da geração Z: estudo mostra que, dos mais jovens aos mais experientes, todos optam pelo bem-estar (Getty Images/Reprodução)

O que profissionais consideram mais importante em suas vidas? Essas são as respostas apresentadas pelo estudo.

  • 56% prioriza qualidade de vida;
  • 14% prefere dedicar mais tempo para família;
  • 11% considera segurança financeira o mais importante;
  • 10% coloca trabalho e carreira em primeiro lugar;
  • 6% prioriza impactar positivamente a sociedade;
  • 3% prefere ter mais tempo para vida social e lazer.

Empresas ESG estão de portas abertas para profissionais que priorizam bem-estar: treinamento mostra o caminho para conquistar uma vaga em companhias desse tipo

Há uma gigantesca janela de oportunidade – mas faltam profissionais qualificados

Para aqueles profissionais que desejam construir uma carreira de sucesso, mas sem deixar de lado aspectos importantes da vida pessoal, existe uma gigantesca janela de oportunidade nas empresas com políticas ESG.

Essas organizações compreendem a necessidade de proporcionar um ambiente de trabalho saudável e valorizam aspectos que vão além do desempenho profissional. E a boa notícia é que elas estão buscando por profissionais que compartilham desses mesmos valores. Mas falta mão de obra qualificada para ocupar as centenas de posições abertas.

“Temos mais vagas do que profissionais com formação e experiência para preenchê-las”, diz Mariana Rico, mestra em sustentabilidade pela FGV e coordenadora do MBA em Gestão ESG e Sustentabilidade da Faculdade EXAME.

Mariana Rico, especialista em sustentabilidade, revela que mercado de ESG tem mais vagas abertas do que profissionais qualificados para ocupá-las

Para ela, profissionais podem aproveitar esse cenário para se destacar no mercado, sair na frente na corrida por empregos e ainda conquistar uma carreira na qual o sucesso profissional não compete com a vida pessoal.

Encontre felicidade no seu trabalho: clique aqui e aprenda como começar uma carreira em ESG em série da EXAME – é online e custa apenas R$ 37

Por apenas R$ 37, veja como construir uma carreira em ESG

De olho naqueles interessados em ingressar no mercado de sustentabilidade, a EXAME acaba de anunciar a terceira edição do Workshop ESG: Carreira e Impacto. Ministrada pela executiva Renata Faber, a série é composta por quatro aulas teóricas e práticas, que acontecem de forma virtual a partir de 24 abril – e está com inscrições abertas.

O treinamento tem como objetivo capacitar profissionais de diferentes setores de atuação para construir uma carreira com propósito e ótimos salários em ESG (sigla que está ditando uma verdadeira revolução nas empresas).

Durante o período de lançamento, o curso está sendo ofertado por apenas R$ 37 – um desconto de 87,5% em relação ao preço original, que é de R$ 297.

Aprenda com quem sabe na prática como funciona o mercado de ESG! Garanta a sua vaga em treinamento virtual com condições especiais clicando aqui

*Este conteúdo é apresentado por Faculdade EXAME

Acompanhe tudo sobre:branded marketing

Mais de Carreira

Como é definido o valor do salário mínimo?

Salário mínimo 2024: saiba o valor atual e dos anos anteriores

Como calcular o salário líquido? Como saber o desconto? Veja aqui

Funcionário CLT pode ser demitido e ter aviso prévio de um mês?

Mais na Exame