Acompanhe:
seloCarreira

Modelo híbrido pode ser menos flexível do que o esperado

Especialistas estão preocupados com o fato de a futura combinação de trabalho em casa e escritório ser complicada de gerenciar

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Chris Ratcliffe/Bloomberg)

(Chris Ratcliffe/Bloomberg)

B
Bloomberg

Publicado em 17 de maio de 2021 às, 17h11.

Última atualização em 17 de maio de 2021 às, 20h41.

Quatorze meses depois que o novo coronavírus fez com que funcionários de escritório em todo o mundo trabalhassem em suas casas, as empresas estão embarcando em outro grande experimento -- como reunir suas equipes novamente, pessoalmente, pelo menos algumas vezes.

É uma tarefa que une brevemente os titãs das finanças globais e os líderes de startups que estão tendo que planejar o retorno das equipes em dois ou três dias por semana, pelo menos por ora. Motivados em alguns lugares pelas preocupações com a Covid e em outros pelo desejo de abraçar a mudança no local de trabalho, o modelo híbrido é o novo foco -- pelo menos no curto prazo.

Mas, com a exigência de trabalhar em casa diminuindo em muitos lugares, os especialistas estão preocupados com o fato de a futura combinação de trabalho em casa e escritório ser complicado de gerenciar e não fornecer a flexibilidade que os funcionários se acostumaram durante a pandemia. O Reino Unido deve aliviar as restrições em 21 de junho, e o prefeito de Nova York quer a cidade “totalmente reaberta” em 1º de julho.

“O modelo híbrido de trabalho tem a ver com flexibilidade de local, não necessariamente com flexibilidade de horas”, disse Claire McCartney, consultora sênior de recursos e inclusão do CIPD, órgão profissional do Reino Unido para recursos humanos e desenvolvimento de pessoas.

Acordos flexíveis -- que vão desde a divisão do trabalho até horários de início e término escalonados ou horas de trabalho compactadas -- são usados com frequência por uma variedade de funcionários, principalmente pais e responsáveis e, em particular, por funcionárias mulheres.

Uma análise do CIPD com dados do mercado de trabalho do Reino Unido sugere que 9,3% dos trabalhadores -- equivalente a 3 milhões de pessoas -- estariam dispostos a trabalhar menos horas em troca de um corte no pagamento. Em um relatório publicado no mês passado, a organização encontrou uma demanda não atendida de funcionários que trabalham em empresas flexíveis.

No entanto, o CIPD também descobriu que, embora 63% dos empregadores esperem implementar políticas de trabalho híbrido em 2021, menos da metade (48%) planeja expandir o “horário flexível”, a opção de trabalho flexível mais popular.

“A falta de uma verdadeira flexibilidade é uma preocupação realmente válida”, disse Margarete McGrath, chefe global de propostas estratégicas na Dell Technologies de Londres. As equipes de McGrath trabalham para ajudar os clientes a se adaptarem a um ambiente de negócios em constante mudança, ao mesmo tempo em que implementam tecnologia para ajudá-los reter e atrair profissionais a longo prazo.

Por enquanto, muitos empregadores estão otimistas com a perspectiva de pedir aos funcionários que voltem ao escritório dois ou três dias por semana. A dúvida é sobre o que os executivos esperam que suas equipes façam quando for feita a transição e quantas mudanças permanentes os chefes irão incentivar.

“Pode ser absolutamente caótico. Esse é o nosso medo, que na verdade eles não tenham elaborado uma estratégia de trabalho híbrida”, disse McGrath. “Muitas organizações estão ficando para trás, dizendo ‘não vamos mudar nada, apenas vamos trazer nossa equipe de volta’. Eles não estão compreendendo totalmente a extensão dessa mudança de paradigma em torno do trabalho.”

Dados da Leesman, empresa especialista na experiência em locais de trabalho, mostram que funcionários se sentem mais produtivos em casa enquanto realizam muitas tarefas-chave de seu trabalho. Separadamente, pesquisas realizadas na Universidade de Stanford demonstraram que o trabalho doméstico funciona, com moderação.

  • A digitalização do mercado de trabalho vai roubar seu emprego? Saiba como se adaptar. Assine a EXAME.

Últimas Notícias

Ver mais
Mondelēz Brasil abre vaga de estágio com salário de até R$ 2.100; VP de RH traz mais novidades
seloCarreira

Mondelēz Brasil abre vaga de estágio com salário de até R$ 2.100; VP de RH traz mais novidades

Há 8 horas

Quer trabalhar em qualquer lugar do mundo? Veja as vagas de home office desta semana
seloCarreira

Quer trabalhar em qualquer lugar do mundo? Veja as vagas de home office desta semana

Há um dia

É difícil trabalhar no modelo remoto?
ESG

É difícil trabalhar no modelo remoto?

Há um dia

Educação Inclusiva: apenas 16% das empresas têm programas para grupos minorizados, diz estudo
seloCarreira

Educação Inclusiva: apenas 16% das empresas têm programas para grupos minorizados, diz estudo

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais