Carreira

Mercado Livre abre vagas com programa de formação para negros e negras

A empresa procura por recém-formados ou estudantes cursando o último ano de tecnólogo, graduação ou pós-graduação

Meli: Todas as vagas serão focadas na contratação de negros, mas metade delas será para mulheres. (Mercado Livre/Divulgação)

Meli: Todas as vagas serão focadas na contratação de negros, mas metade delas será para mulheres. (Mercado Livre/Divulgação)

Luísa Granato

Luísa Granato

Publicado em 21 de julho de 2021 às 11h21.

Última atualização em 21 de julho de 2021 às 17h29.

O Mercado Livre, empresa de varejo digital e serviços financeiros da América Latina, abriu inscrições para o programa de carreira First Mile. Em parceria com a consultoria Indique Uma Preta, eles vão selecionar 80 profissionais negros e negras.

As oportunidades são para o Mercado Envios, braço logístico da empresa, nos centros de distribuição de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina.

A ideia do programa não é só o de contratar pessoas focando na diversidade étnico-racial, mas prepará-las para uma carreira acelerada de analista até a liderança de times dentro da companhia em 12 meses.

Verônica Dudiman, cofundadora da Indique Uma Preta, explica que os contratados no programa terão acompanhamento do time da consultoria durante toda sua jornada. Foi o que aconteceu com os integrantes da turma piloto do programa no ano anterior.

“É essencial o acompanhamento desses profissionais. Traremos o olhar da consultoria de diversidade para todo o processo. Esses analistas que entrarão no Mercado Livre em 12 meses ocuparão cargos de liderança. Sua formação é muito importante, vamos garantir que a experiência será incrível”, diz Dudiman.

A equipe do Indique Uma Preta vai trabalhar junto do Mercado Livre para a atração de candidatos, nas dinâmicas do processo seletivo, na integração após a contratação e também no treinamento imersivo nas primeiras semanas do início do programa.

A especialista da consultoria Fernanda Oliveira dará as aulas de metodologia Lean Seis Sigma de implementação de projetos. Os contratados receberão certificação Yellow Belt e já terão oportunidade de realizar um projeto prático para solucionar problemas de operação da empresa. 

O programa ainda vai oferecer mentorias e bolsas de idioma para aprender inglês e espanhol.  

Para as vagas de níveis júnior e pleno, a empresa não traz pré-requisitos de conhecimento de idioma ou cursos específicos, nem limite de idade. Os candidatos só precisam ser recém-formados ou estar cursando o último ano do tecnólogo, graduação ou pós-graduação de qualquer curso superior. 

Todas as vagas serão focadas na contratação de negros, mas metade delas será para mulheres.

“A área de logística é muito masculinizada, queremos trazer mais mulheres, cis ou trans. Também queremos trazer pessoas com deficiência. Estaremos atentos para todos os marcadores sociais para termos interseccionalidade”, afirma Esabela Cruz, gerente de Diversidade e Inclusão do Mercado Livre no Brasil.

O programa faz parte da meta de contratação de 2.500 profissionais negros anunciada em abril. O foco em diversidade acompanha a expansão acelerada da companhia no Brasil, com a previsão de criação de cerca de 7.200 emprego apenas no Brasil em 2021.

Segundo a gerente, a empresa está muito próxima de bater a meta. “Fomos cuidadosos com o número anunciado, temos quase 90% dos 2.500 contratados. É possível que possamos entregar muito mais até dezembro”, diz. 

As inscrições estão abertas até o dia 26 de julho pelo site

Acompanhe tudo sobre:DiversidadeLogísticaMercado Livre

Mais de Carreira

Ela largou o CLT para empreender e agora leva mulheres para estudar liderança nos EUA

Fit cultural: como se preparar para uma entrevista de emprego?

Currículo Lattes é importante para carreira? Saiba como fazer o seu

5 melhores cursos para quem quer ser funcionário público

Mais na Exame