Carreira

Habilidade do futuro? Este é o caminho para alcançar cargos e salários mais altos

Falta de profissionais qualificados para trabalhar com ESG eleva salários para a casa dos 2 dígitos. Veja como desenvolver as habilidades necessárias para trabalhar em uma das áreas que mais crescem no mercado

 (Getty Images/Getty Images)

(Getty Images/Getty Images)

I
Isabel Rocha

26 de maio de 2022, 09h40

Temperaturas extremas, enchentes, doenças respiratórias, perda da biodiversidade... Ao passo em que os impactos das mudanças climáticas ficam cada vez mais evidentes, trabalhar para freá-las deixou de ser uma escolha para se tornar uma questão de sobrevivência. E isso exigiu uma verdadeira mudança na mentalidade de executivos, empresas e governos ao redor do mundo.

Pautas como economia circular, redução das emissões de carbono, tratamento de resíduos e diversidade (que antes pareciam restritas a negócios cujos core business estavam diretamente relacionados à sustentabilidade), hoje são indispensáveis para que companhias dos mais variados segmentos consigam se manter competitivas. Afinal, aquelas que não se adequarem correm o risco de sofrer boicotes ou mesmo de verem seus papéis desvalorizarem em tempo recorde na bolsa.

Essa pressão crescente de colaboradores, clientes e investidores para que as empresas estejam verdadeiramente alinhadas às boas práticas de ESG (sigla em inglês para identificar questões relacionadas ao meio ambiente, sociedade e governança) intensificou as buscas por profissionais capazes de orientar a implementação dessa agenda dentro das empresas. E a falta de pessoas qualificadas para ocupar estes cargos fez com que as remunerações ofertadas também disparassem, com salários atingindo a casa dos R$ 20 mil.

Clique aqui para saber como se tornar um especialista em ESG e aproveitar a alta demanda do mercado

Mas, se os salários e o propósito da profissão são atrativos, por que as empresas têm dificuldade de encontrar profissionais ESG para compor seus times? A resposta tem a ver com qualificação: há poucos profissionais preparados disponíveis no mercado hoje. Os que existem, já estão muito bem empregados e, com boas projeções de carreira e futuro, dificilmente estão abertos a novas oportunidades.

A boa notícia é que, mais do que uma oportunidade para profissionais que já trabalham com sustentabilidade, o aumento da oferta de vagas no setor também representa uma boa oportunidade para aqueles que buscam recolocação ou mudança de área. Isso porque, desde que estejam dispostos a se especializar no assunto, profissionais de diversas áreas de formação (mesmo aquelas menos relacionadas ao tema, como química, administração ou comunicação) podem ser considerados para ocupar cargos relacionados à sustentabilidade e ESG.

 Mas, afinal, o que faz um profissional de ESG na prática?

Um estudo realizado pela Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável (Abraps) elencou algumas das tarefas comumente atribuídas a estes profissionais dentro das empresas.

Dentre elas, estão o desenvolvimento de uma visão estratégica e a viabilização de projetos de sustentabilidade. Também se destacam a criação e o monitoramento de indicadores de desempenho de sustentabilidade, a minimização dos impactos da cadeia produtiva do negócio e a elaboração de treinamentos visando a conscientização de colaboradores com relação ao tema. Veja em detalhes:

Segunda Pesquisa Profissionais de Sustentabilidade (Deloitte/Abraps/Reprodução)

O levantamento também revelou que a maior parte dos profissionais de sustentabilidade (49% dos entrevistados) responde diretamente aos chamados “cargos de confiança” e tem alto nível de escolaridade: o percentual de profissionais com pelo menos algum curso de especialização na área ultrapassa os 40%.

Desenvolva as habilidades necessárias para trabalhar com ESG e alcançar cargos e salários mais altos. Clique aqui e saiba como!

Executivo de Impacto

De olho na discrepância entre a demanda e a oferta de profissionais capazes de aplicar as práticas ESG no meio empresarial (e na enorme oportunidade que isso representa para profissionais que desejam dar um upgrade em suas carreiras), a head de ESG da EXAME, Renata Faber, desenvolveu a Jornada do Executivo de Impacto.

Trata-se de um treinamento online e gratuito onde a executiva, que já acumula anos de experiência no setor, irá apresentar os caminhos para ingressar em uma das áreas que mais crescem no mundo. O conteúdo, que será disponibilizado ao longo de quatro episódios entre os dias 6 e 14 de junho, passa pela definição aprofundada do que é ESG, traz reflexões sobre como tema impacta o mercado e a economia e apresenta possibilidades para começar a construir uma carreira na área. Para garantir a sua vaga, os interessados devem se inscrever no site oficial do projeto.

QUERO PARTICIPAR DA JORNADA DO EXECUTIVO DE IMPACTO