Carreira

Gestão financeira empresarial: Conheça o setor que é o "coração" da empresa

A partir de uma boa gestão financeira empresarial, a empresa é capaz de crescer com saúde ou superar momentos de crise com estratégia e visão de futuro

 (Freepik/Reprodução)

(Freepik/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 8 de maio de 2024 às 10h00.

Tudo sobreGestão
Saiba mais

A gestão financeira empresarial é parte chave do bom funcionamento de qualquer empresa. Pense nos profissionais da área como uma espécie de capitães de um navio, maestros, figuras-chave para ditar ações estratégicas de toda a empresa.

Sabendo disso, vale ter em mente que as atribuições vão além do comum controle do caixa e envolvem uma atividade diária com todos os setores, investigando áreas de potencial crescimento e realocações estratégicas, que podem ser feitas para melhorar a saúde financeira da empresa.

Neste guia, esclarecemos o conceito de gestão financeira empresarial e explicamos as principais atribuições do time, além da importância dessa área para qualquer negócio. 

O que é gestão financeira empresarial?

A gestão financeira empresarial envolve todo o processo de gerenciamento das atividades financeiras de uma empresa. O que isso significa? 

Manual de Planejamento Financeiro para Empresas

É simples: profissionais com diferentes contextos profissionais agem em conjunto para planejar, organizar, controlar e direcionar os recursos financeiros em diferentes áreas, tudo isso pensando na saúde da empresa, sua lucratividade, potencial de crescimento e otimização desses recursos. 

O que faz uma pessoa que faz gestão financeira?

O profissional envolvido na gestão financeira (ou o time, quando for o caso) reúne diversas atribuições no seu dia a dia. As principais são:

  • Planejamento financeiro: o planejamento financeiro parte dos objetivos da empresa para o ano e traça estratégias para que ele seja alcançado, alocando recursos, otimizando o caixa e diminuindo gastos desnecessários, por exemplo;
  • Controle das finanças: a partir do planejamento e dos objetivos traçados, o profissional é responsável por monitorar todo o fluxo de caixa, contas a pagar/receber e previsões futuras de entradas e saídas;
  • Análise de oportunidades: o responsável pela gestão das finanças pode encontrar oportunidades de maximizar o caixa da empresa, seja adquirindo empréstimos com boas taxas de juros ou investindo em áreas/produtos/serviços que estão dando resultado;
  • Gestão de riscos/análise externa: análise de fatores alheios ao negócio que podem prejudicar (ou melhorar) sua rentabilidade, como questões socioeconômicas, taxa de juros, riscos do mercado;
  • Integração com outros times da empresa: o gestor das finanças é uma peça fundamental em toda a empresa. Ao identificar pontos de melhoria no orçamento, por exemplo, pode tocar reuniões com gestores de áreas como RH, marketing e vendas, pensando em desdobrar as metas financeiras em ações práticas, pensando em cada uma dessas áreas.

Qual é a importância da gestão financeira nas empresas?

Uma boa gestão financeira viabiliza ações executadas na empresa para potencializar os ganhos e crescer de maneira saudável. 

Gestores conseguem tomar decisões responsáveis, embasadas e sincronizadas com a saúde do negócio, evitando "dar um passo maior do que a perna", o que pode gerar prejuízos irreparáveis.

É a partir dessa área que os demais setores conseguem entender o quanto têm de dinheiro disponível para gastar em setores que visam a potencialização do negócio, sua expansão e crescimento. Lucros são maximizados e os gastos são otimizados.

Além disso, é justamente a gestão financeira que dá a previsão e segurança de que a empresa é capaz de seguir funcionando com saúde, pagando os funcionários, contas, investidores (se for o caso) e qualquer outro comprometimento realizado. 

Por fim, listamos também a possibilidade de traçar planos de expansão mais seguros, baseados em histórico de performance, fatores externos de negócio, capacidade produtiva/intelectual do time e qualquer outro fator que possa nortear bons frutos no futuro. 

Como fazer gestão financeira do caixa no dia a dia?

O primeiro passo é manter um registro de todas as transações da empresa. Independente do que entrar e sair, faça o acompanhamento constante, para garantir que tudo corre conforme o previsto/correto, de acordo com a legislação. 

Hoje em dia, existem inúmeras tecnologias que podem auxiliar desde as menores empresas até as mais robustas no processo. Pense nas principais necessidades operacionais do negócio, no momento, e busque por softwares que otimizem a rotina dos gestores financeiros. 

Pense que o financeiro de uma empresa engloba dezenas de "microáreas" que merecem a devida atenção. Para além das atribuições mais óbvias, pense em uma empresa que tem muitos funcionários em viagens corporativas. Essas pessoas precisam registrar os gastos, solicitar reembolso — e o setor de DP precisa tornar esse processo organizado e otimizado.

Softwares como o Flash Expense permitem a digitalização de recibos, armazenamento em nuvem, gerenciamento das solicitações de reembolso e relatórios sobre as solicitações. Os colaboradores têm acesso a um app, para facilitar o processo de gestão dos gastos corporativos na outra ponta.

Em resumo, ferramentas são uma espécie de "braço ajudante" para te auxiliar a fazer a gestão financeira no dia a dia. Veja as principais formas de executá-la:

  • Faça um monitoramento do fluxo de caixa;
  • Tenha sempre a previsão futura do caixa;
  • Realoque despesas não prioritárias;
  • Otimize prazos de pagamento com clientes, para ter dinheiro em caixa por um tempo maior;
  • Use esses valores para investir em áreas que vêm dando resultado ou pagar dívidas urgentes, por exemplo;
  • Elabore planejamentos financeiros e orçamentos divididos por área, levando em consideração as necessidades de cada setor;
  • Execute esforços para a elaboração de uma reserva de emergência, com o objetivo de evitar crises financeiras;
  • Negocie dívidas ou pague-as com um empréstimo que tenha juros menores, se for possível.

Como fazer gestão financeira de crise?

O primeiro passo para executar uma boa gestão financeira de crise é o diagnóstico. Entenda qual é a receita atual da empresa, quais são as despesas (fixas e variáveis), saúde do fluxo de caixa e possíveis existências de uma reserva financeira.

Sabendo da situação atual, entenda quais são as receitas essenciais, ou seja, sem elas não é possível que a empresa siga atuando. Esses encargos devem ser pagos indiscutivelmente — quando houver a possibilidade, vale discutir com os fornecedores a flexibilização dos prazos de pagamento, como extensão de data de vencimentos. 

Caso alguma área receba um orçamento maior do que o necessário para o momento de crise, faça uma realocação urgente para as áreas críticas. 

Veja, também, como anda o fluxo de pagamento dos clientes, se você fizer parte de uma empresa que trabalha com serviços, por exemplo. Pode ser importante acelerar as cobranças e ser menos flexível no recebimento dos pagamentos, além de entrar em contato com possíveis devedores. 

Acompanhe tudo sobre:Flash DespesasGestãogestao-de-negocios

Mais de Carreira

Quais são os jargões mais utilizados no mundo corporativo?

O que o estagiário recebe quando acaba o contrato?

O que faz um auxiliar de produção?

Profissões na área de Humanas: conheça 5 oportunidades e tendências

Mais na Exame