Como usar esta teoria da psicanálise para refletir sobre sua carreira

Caso você esteja atravessando algum incômodo com os seus parceiros de trabalho, talvez seja o momento de parar de olhar para fora

Você conhece alguém que é tão inocente, que nunca vê maldade em nada e que não percebe que outras pessoas se aproveitam dela de forma negativa? Ou uma pessoa que é tão pessimista que só consegue ver erros e falhas em tudo e em todos?

A teoria dos espelhos, de Jacques Lacan, médico, psiquiatra e psicanalista francês, acredita que só conseguimos enxergar características em outras pessoas que também existam, ou já existiram algum dia, dentro de nós.

Ele acredita que nosso papel, como humanos, é aprender sobre nós mesmos, através das nossas relações. Sabe quando você se olha no espelho e repara em algo que não gosta em você? De acordo com Lacan, isso também acontece com as pessoas quais nos relacionamos.

Então, fique alerta. Caso você esteja atravessando algum incômodo com os seus parceiros de trabalho, talvez seja o momento de parar de olhar para fora e buscar dentro de si o que tanto te desagrada.

Dessa forma você para de gastar energia e atenção tentando “consertar” ou “analisar” os outros e foca completamente no seu próprio desenvolvimento pessoal. Te garanto que você só tem a ganhar!

O que você não gostar no outro, corrija em você!

Sempre que você se confrontar com um aspecto de personalidade desafiadora no seu ambiente de trabalho, e também, na sua vida pessoal, se questione: o que essa situação está tentando me ensinar? Como eu posso melhorar para que ninguém tenha que passar por isso através de mim? E não menos importante, como eu me coloquei nessa situação e como posso sair dela de forma madura?

Como, em geral, não buscamos ver nossas próprias sombras e, até mesmo, nossas virtudes, a vida nos dá de presente as relações que vivemos para nos mostrar de uma maneira direta aquilo que está em nós. O outro é simplesmente um espelho, nos refletindo e dando a oportunidade de nos conhecermos.

Você acredita que o seu gestor é muito exigente com você? Talvez você também seja consigo mesmo e essa situação é uma oportunidade para você rever isso e buscar pelo equilíbrio, afinal pode ser que você também seja permissivo demais e esse cenário esteja te convidando a uma nova postura.

Da mesma forma que os desafios da personalidade podem ser identificados pela teoria do espelho, as virtudes também se revelam.

Não se compare, se inspire!

Se você faz parte do enorme número de pessoas que costuma ver o talento e o sucesso dos outros e acredita não ter o mesmo potencial, eu tenho uma boa notícia! Você se lembra que só enxergamos fora aquilo que existe em nós mesmo? Pois bem, isso também vale para as virtudes.

Então, a partir de hoje, ao invés de olhar para a sua colega de trabalho que foi promovida com a visão de que você não possui a mesma capacidade, mude o foco! O que nela você admira? O poder de se comunicar? A agilidade nas soluções? Sua liderança? Saiba que todo esse arsenal de habilidades também reside bem aí, dentro de você.

Pode ser que ao longo da sua vida alguns acontecimentos tenham gerado repressões e medos que te impediram de manifestar o seu real potencial. Tudo bem. O primeiro passo é mapear o que você mais admira nas pessoas em seu entorno, compreender o que você tem vontade – e necessidade – de desenvolver e encontrar, tanto na psicoterapia como em cursos e capacitações, meios de aflorar essas aptidões.

Eu sou uma apaixonada por talentos e acredito que todos tenham, não só um, mas vários meios de expressarem suas habilidades. Porém, cabe apenas a você buscar desfazer as crenças e “obstáculos” que atrapalhem a manifestação das suas qualidades.

Mude o foco, se alegre por ver os outros brilharem, perceba que você tem a mesma capacidade e então veja o brilho dos seus olhos retornarem!

Boa jornada!

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.