Carreira

Coca-Cola recruta trainees

Salário oferecido para recém-formados está na faixa de R$ 4 a R$ 5 mil

Coca-Cola: há oportunidades em três cidades brasileiras (Divulgação/Wikimedia Commons)

Coca-Cola: há oportunidades em três cidades brasileiras (Divulgação/Wikimedia Commons)

Talita Abrantes

Talita Abrantes

Publicado em 26 de outubro de 2010 às 18h17.

São Paulo – Até o dia 7 de novembro, a Coca-Cola Femsa recebe inscrições para seu programa de trainee. Ao todo, são 17 vagas para as cidades de São Paulo, Jundiaí (SP) e Belo Horizonte (MG).

Há oportunidades para recém-formados nas áreas de Marketing, Vendas, Recursos Humanos, Finanças, Suprimentos, Industrial e Logística.

Para participar, os candidatos devem ter terminado a graduação entre 2007 e fim de 2010 nos cursos de Administração de Empresas (geral e com ênfase em Marketing ou Comércio Exterior), Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Engenharia (todas das especialidades), Estatística, Publicidade e Propaganda, Propaganda e Marketing, além de Comunicação Social.

Fluência em inglês, bons conhecimentos em espanhol e disponibilidade para viajar ou residir fora do estado ou país são alguns dos itens exigidos pela Coca-Cola.

O programa tem a duração de 18 meses. Nesse período, os trainees farão treinamentos técnicos e de competências, além de passar por um processo de rotação de funções.

Ao fim do programa, os participantes devem apresentar um projeto de negócios para a diretoria e presidência da Coca-Cola FEMSA.

As inscrições devem ser feitas até 7 de novembro pelo site do portal Vagas.com.

Responsável pela produção e distribuição dos produtos Coca-Cola, Sprite, Fanta e Água Crystal, entre outros, a Coca-Cola emprega mais de 12 mil pessoas no Brasil.
 

Acompanhe tudo sobre:BebidasCarreira jovemCoca-ColaEmpresasEmpresas americanasRefrigerantesTraineesvagas-de-emprego

Mais de Carreira

Você já tirou a tal das “férias silenciosas”? Veja o lado bom e ruim dessa tendência

Vagas para todos: setor trilionário aceita profissionais de todas as formações e paga acima da média

Número de executivas mulheres cai pela primeira vez desde 2005 nos EUA

Quer trabalhar de qualquer lugar do mundo? Veja as vagas de home office disponíveis nesta semana

Mais na Exame