Carreira

5 formas de descobrir se o seu salário é justo

É constrangedor perguntar a um colega quanto ele ganha. A boa notícia é que há formas mais sutis de descobrir se o seu salário está compatível com a média


	Salário: vale buscar informação sobre o assunto regularmente para não ser “esquecido” pelo RH
 (Thinkstock/BernardaSv)

Salário: vale buscar informação sobre o assunto regularmente para não ser “esquecido” pelo RH (Thinkstock/BernardaSv)

Claudia Gasparini

Claudia Gasparini

Publicado em 22 de maio de 2015 às 14h08.

São Paulo - Na hora de negociar um aumento ou apresentar uma pretensão salarial numa entrevista de emprego, saber qual é o valor do seu “passe” no mercado de trabalho faz toda a diferença.

Mas como saber qual é o salário adequado para você com tantas variáveis envolvidas nessa equação - para não falar no tabu que envolve o assunto?

Com o objetivo de ajudar quem busca referências sobre a remuneração em sua área, o consultor britânico Bernard Marr reuniu algumas táticas no LinkedIn Pulse.

Segundo ele, vale buscar informação sobre o assunto regularmente para não ser “esquecido” pelo RH da empresa.

“É comum que pessoas que passam muito tempo numa única empresa fiquem para trás e não recebam o salário que merecem, simplesmente porque elas não checam os padrões do mercado e deixam de pedir aumentos”, escreve Marr.

Veja a seguir 5 dicas do consultor para descobrir o intervalo salarial mais compatível com a sua função:

1. Acesse sites com informações sobre a remuneração praticada na sua área
Portais e ferramentas disponíveis na internet são um bom ponto de partida para conhecer os salários oferecidos pelo mercado. No Brasil, sites como Salariômetro, Love Mondays e Catho costumam trazer informações do tipo. Também é possível consultar guias salariais divulgados por consultorias de recrutamento como a Robert Half ou a Hays. 

Uma desvantagem de usar esses recursos, diz Marr, é que normalmente eles não consideram fatores como experiência ou localização geográfica. Além disso, nem sempre você encontrará a descrição exata do seu cargo nas tabelas.

2. Consulte seus pares
Uma maneira óbvia de saber como vai a remuneração média do mercado é consultar colegas de profissão a respeito. Mas, claro, isso pode ser muito constrangedor.

Para Marr, uma boa saída é perguntar algo mais genérico, como “Este salário mensal parece correto para você?” ou “Parece alto ou baixo para você?”. Mesmo sem uma resposta exata, você pode descobrir a posição do seu empregador em relação à média quando o assunto é remuneração.

3. Procure pelo seu próprio emprego na internet
Outra sugestão do consultor britânico é tentar encontrar a uma vaga parecida com a sua em sites de recrutamento. Não que isso seja sempre possível, já que o salário nem sempre é mencionado. 

Mesmo assim, vale a tentativa. “Com isso, você pode começar a enxergar um intervalo”, escreve Marr. É bom lembrar que você deve consultar oportunidades que se assemelhem ao máximo ao seu emprego, desde a localização geográfica até o porte do empregador.

4. Entre em contato com organizações profissionais
De sindicatos a grupos no LinkedIn, há diversas associações que podem ser consultadas sobre as médias salariais de uma área.

Em alguns casos, a consulta pode ser feita pela internet, mas também pode ser necessário entrar em contato direto com seus representantes. 

5. Busque referências na área pública
No Brasil, a Lei do Acesso à Informação exige a divulgação da remuneração dos funcionários públicos. Outra dica de Marr é consultar os salários de algumas funções públicas parecidas com o que você desempenha. 

A tentativa é válida, na opinião do consultor, ainda que a relação da esfera pública com a iniciativa privada muitas vezes seja distante. "Você se surpreenderia com a variedade de empregos que entram no ‘guarda-chuva’ governamental, de chefs e zeladores a especialistas em mídias sociais e analistas de dados”, afirma o especialista.

Acompanhe tudo sobre:carreira-e-salariosdicas-de-carreiraDinheiroEmpregosMercado de trabalhoRemuneraçãoSaláriosSalários de executivos

Mais de Carreira

Você já tirou a tal das “férias silenciosas”? Veja o lado bom e ruim dessa tendência

Vagas para todos: setor trilionário aceita profissionais de todas as formações e paga acima da média

Número de executivas mulheres cai pela primeira vez desde 2005 nos EUA

Quer trabalhar de qualquer lugar do mundo? Veja as vagas de home office disponíveis nesta semana

Mais na Exame