3 passos para lidar com a ansiedade sobre trabalho durante crises

Incertezas e inseguranças causados pela pandemia do novo coronavírus podem prejudicar a saúde mental e tornam mais difícil se concentrar no trabalho

Tempos conturbados e muita insegurança sobre o futuro. Nesse cenário, não é estranho que a ansiedade surja, ou aumente, nem que ela seja direcionada para o trabalho. Sabe aquela sensação de que algo está errado mas você não consegue identificar?

“A ansiedade sobre trabalho é quando você sente uma inquietação profunda e um medo que o impulsionam de uma maneira improdutiva e o impedem de seguir em frente”, explica Kristine Steinberg, CEO e fundadora da Kismet Consulting, focada em felicidade no trabalho e viver com propósito.

“É um sentimento existencial difícil de articular. É uma sensação de tensão e angústia, e você não sabe o porquê”, completa ela em entrevista ao site 99u, da Adobe.

Seja porque a nova crise está tornando o contexto cada vez mais nebuloso ou porque, você sinta algo similar sobre sua vida profissional há tempos, as dicas práticas de Steinberg podem ajudar a dar mais clareza. Confira.

Identificando a ansiedade

Como em todos os ambientes, no trabalho não é incomum ter sentimentos negativos, como insegurança, pessimismo, medo. Embora eles possam causar ansiedade, ela é um mundo por si só. Para a CEO, uma das maneiras de reconhecê-la é se perguntando: Me sinto inseguro?

Não se trata, a princípio, do sentimento de perigo, mas vem do fato de que a ansiedade impede que se sinta mental e ou espiritualmente seguro. ““A ansiedade pode fazer você se sentir como se tivesse que fugir, como se tivesse que fazer algo para escapar.” Você pode estar tentando “fugir” de diversas formas: fazendo compras online, estendendo o almoço ou procrastinando. “Soluções rápidas podem ajudá-lo a se sentir melhor a curto prazo, mas são, no final das contas, improdutivas e apenas agravam a ansiedade”, conclui ela.

Reconheça a perda de perspectiva que ela dá

Identificar quando há mais em jogo do que o problema padrão “sinto que algo está errado” é crucial. “A ansiedade é uma energia elevada e frenética que assume o controle. É uma maneira diferente de ficar paralisado. É uma conversa mental ”, explica Steinberg. A ansiedade prejudica sua capacidade de pensar com clareza e faz com que você perca a visão em perspectiva e sinta-se sobrecarregado pelos pensamentos.

Ansiedade sobre trabalho: 3 passos para amenizar

#1 “Abra espaço” para a racionalidade

É essencialmente impossível ser objetivo quando você está no mato, e isso é contraproducente para a sua situação. Quando reconhecer que a ansiedade está assumindo (ou já assumiu) o controle, “a primeira coisa a fazer é respirar fundo”, diz Steinberg.

“Respire fundo, fisicamente. Desacelere e tente criar alguma forma de espaço, tanto fisicamente quanto mentalmente.”

É bom manter algumas técnicas de respiração na manga para usar quando reconhecer o estado de ansiedade. Um delas é a “box breathing”, exercício usado por membros das Forças de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos para manter a calma em situações estressantes. O Box breathing consiste em:

Vale apostar em algo até mais simples, como focar apenas na própria respiração (e nada mais) por alguns minutos. Seja o que for, encontre uma técnica que funcione para tirá-lo do “vazio” da ansiedade.

#2 Concretize o problema… em 4 perguntas

Com a cabeça menos nebulosa e tendo reconhecido melhor a questão, a dica é tornar mais tangível o problema por trás, para, assim, começar a visualizar uma resolução. Para ajudar, Steinberg recomenda escrever um diário, a começar respondendo as quatro perguntas abaixo:

  • O que parece estranho?
  • Como definiria o problema que estou enfrentando?
  • Do que eu tenho medo quando se trata de fazer mudanças em relação à essas coisas?
  • Quais são as três ações que posso realizar para melhorar minha situação?

#3 Fale com alguém

A partir daí, a CEO da consultoria recomenda dar pequenos passos, como contatar um colega ou amigo de confiança com quem possa desabafar. Mas, a entrevistada alerta para o cuidado nessa hora: evite “alertar” a pessoa errada sobre sua ansiedade. Fazer isso, diz ela, pode ter efeito inverso e causar ainda mais ansiedade.

Este artigo foi originalmente publicado pelo Na Prática, portal da Fundação Estudar.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.